Internet, praga ou bênção?

As Redes Sociais são prato feito para os truques presidenciais

Rede social (Dado Ruvic/Reuters/VEJA/VEJA)

Logo que a Internet se tornou acessível aqui no Brasil eu fiquei maravilhada! Não sosseguei enquanto não tive um computador e enquanto não aprendi a lidar com a novidade.
Confesso que custei a dominar as possibilidades que o computador oferecia. E como a informática é muito novidadeira, quanto mais eu aprendia, mais ficava sem saber. Até hoje é assim.
Poder compartilhar minhas opiniões, meus pensamentos, sem nenhum controle do Estado, sem Censura alguma, sem intermediários, que sensação deliciosa. Dependia apenas de encontrar amigos e parentes também encantados com a novidade…
Na época eu traduzia e meu filho cursava faculdades, então o computador e a impressora – uma tartaruga – eram disputadíssimos. Não podia, portanto, abandonar de vez a minha linda Olivetti. Mas logo que foi possível compramos um segundo computador e tudo ficou mais fácil.
Poucos anos depois, meu filho um dia sugeriu que eu desse uma olhada no Blog do Noblat. Fiquei olhando para ele como um burro diante do altar. Blog: o que é isso? Noblat: quem é?
Mas como mãe obediente que sou, fui olhar. E me apaixonei. Sempre fui interessadíssima em política, sempre foi um tema fascinante. E encontrar um espaço com as vantagens da informática, onde eu podia me informar e dar minhas opiniões a respeito do que lia, foi uma sensação nova que nem sei descrever. E passei a comentar diariamente os posts que encontrava no Blog do Noblat. Mais ou menos um ano depois, recebi convite do titular do Blog, Ricardo Noblat, para escrever para seu Blog uma vez por semana. Isso foi em 2005. E aqui estou desde então.
Sempre encantada com a Internet, com a facilidade para compartilhar opiniões e pensamentos, consultar o Google, ver fotos antigas ou novas, conhecer lugares e países. Conversar com pessoas em qualquer lugar do mundo, assistir a vídeos, enviar e receber e-mails, ou seja, a glória! Tudo isso sem passar pelo Estado!
Como todos sabem, a alegria não dura para sempre. Com a Internet está se passando a mesma coisa: as famigeradas Redes Sociais passaram a ser o meio favorito para governar de políticos muito estranhos… Donald Trump governa através de Redes Sociais. Como ele desperta a admiração de outros políticos da extrema-direita, as redes passaram a ser utilizadas por muitos deles.
Aqui no Brasil ele logo encontrou seguidores, sobretudo na família Bolsonaro. O capitão-presidente também tenta administrar o país com suas Redes Sociais. Seus filhos usam as redes para se defender ou para atacar, para demitir ou endeusar ministros. A sorte do Brasil é que a linguagem deles é um tanto ou quanto enigmática, então nem sempre são seguidos. Mas sempre causam algum tumulto.
As Redes Sociais são prato feito para os truques presidenciais. Por exemplo: o capitão faz declarações assim, de repente, sem pensar: mantém seu nome no ar com o que diz. Mas depois, ao vivo ou nas mesmas Redes Sociais, diz que não disse o que disse… Assim foi com os ‘paraíbas’ que ele jura que não chamou de ‘paraíbas’. E assim será com os estrangeiros que ele logo dirá que não repudiou, pois se ele tem sangue italiano nas veias!
Ele se esquece que a Internet pode ser uma bênção para quem quer governar sem pensar ou sem ter muito trabalho, mas também pode ser uma praga, pois fica tudo gravado nas nuvens. Que um dia, sem que ninguém espere, baixarão em chuvas torrenciais!
Fonte: Blog do Noblat – Veja Abril

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *