23 de maio de 2022
Colunistas Junia Turra

Véio do céu! Mas véioooo?

Basicamente, a fulana toda “botoxada”, tentando ser mais nova do que aparenta ser com todo rehab na carroceria, deveria entender a diferença cultural.

Na Europa aos 50, 60 anos o profissional começa a ser respeitado e a colher os frutos disso. Na área acadêmica e na área jornalística. Ninguém aposenta com 50.

Aos 80 estão subindo os Alpes de bike. Brasileiro acha lindo “o velho de 90 dançando”. Dança, rema, trabalha no trator, limpa a casa, não tem empregada. E vai para o pub. Leem, se informam, votam . Mais vivos que o bando de isentão, kombista que vai de carro na padaria da esquina e adora um serviçal. Ah, e o tarja preta? A depressão ? O Brasil é o número 1 em depressão e suicídio infanto-juvenil.

Será que essa criatura está com a visão comprometida pela idade?

Basta uma olhada nos gráficos: a partir da faixa etária de 35 anos o BREXIT venceu. Exatamente quem paga o pato e a conta da farra e da esbórnia da esquerda disse YES ao Brexit!

Será que 35 é idade avançada?

Por falar nisso, quantos anos essa velhota tem?

PS: Vera Magalhães já deveria ter aprendido que não se adjetiva em texto jornalístico: “pirâmide IMPRESSIONANTE”. E nem se usa expressões para tentar causar e mostrar que sabe: “diferença.GERACIONAL”.

Jornalista expõe o fato!

Se for “explicar” precisa ter conhecimento especifico, o que é diferente da distorção por interesses de patrocinador e militância política.

O papel do jornalista é informar e não deformar a opinião pública.

author
Jornalista internacional, diretora de TV, atualmente atuando no exterior.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.