29 de fevereiro de 2024
Colunistas Junia Turra

Hoje é o dia dele, de São Nicolau…

É o Papai Noel. Data em que se comemora, especialmente as crianças que ganham, em suas meias, umas balas, frutas e flores…

A Aura e a tradição do Natal em suas delicadezas e pormenores que, em países como o Brasil as pessoas não têm a menor ideia do que seja.

Natal são “delicadezas” – gentilezas e presentes feitos com Amor – uma vela em forma de músico, de anjo, de mãos, uma caixinha decorada e um abraço, um beijo e cozinhar junto.

São “pouquinhos”: cantar, dançar, rir, estar mesmo junto. Natal é simplesmente a simplicidade do “estar e ser”… Pureza, alegria, leveza, suavidade.

Não é encomendar banquetes, se reunir com gente da família que se detesta e dizer: “ai querida, vc está ótima!”, abraçar o chefe odioso ou o colega de trabalho asqueroso e dar aquele presente de amigo secreto dizendo: Feliz Nataaaal… encher de comida, de bebida, de muitos presentes, caros, pagos em mil prestações, se é que serão pagos. Mas por dentro? Nada…

O Brasil é mesmo um país superficial e lamentavelmente pobre, ainda que as pessoas esbanjem, especialmente em redes sociais, suas belezuras e bens. Lamenta-se.

Vale a leitura deste texto de Claudovino Turra:

“Bom Dia
06 de Dezembro
Santo do Dia – SÃO NICOLAU
Nicolau é amado e muito querido por todos os cristãos do Ocidente e do Oriente. Sem dúvida alguma é o Santo mais popular da Igreja. Ele é Padroeiro da Rússia, de Moscou, da Grécia, das crianças, das moças solteiras, dos marinheiros, dos cativos e dos lojistas. Por tudo isso, os dados de sua vida se misturam às tradições seculares do cristianismo.
Filho de nobres, Nicolau nasceu na Ásia Menor, na metade do século III, provavelmente no ano 250. Foi consagrado Bispo de Mira, atual Turquia, quando ainda era muito jovem e desenvolveu seu apostolado também na Palestina e no Egito. Segundo alguns historiadores, o Bispo Nicolau esteve presente no primeiro Concílio, em Nicéia, no ano 325.
Após a morte dos seus pais, São Nicolau herdou uma grande fortuna a que começou a distribuir entre os pobres. Ele se empenhou em ajudar secretamente, para que ninguém pudesse agradecer-lhe. São inúmeras as histórias de milagres que cercam a vida de Nicolau.
Após a sua ordenação, São Nicolau resolveu: “Até agora eu pude viver para mim mesmo e para a salvação da minha alma, mas daqui em diante todo o momento da minha vida deve ser dedicado aos outros.” E esquecendo a si mesmo, o Santo abriu a porta de sua casa a todos e tornou-se o verdadeiro pai dos órfãos e pobres, defensor dos oprimidos e benfeitor a todos.
Morreu no dia 06 de dezembro de 326, em Mira. O documento mais antigo sobre ele foi escrito por Metódio, Bispo de Constantinopla, que no ano de 842, relatou todos os milagres atribuídos a Santo Nicolau.
Reflexão:
A tradição diz que Nicolau costumava fazer doações anônimas em moedas de ouro, roupas e comida às viúvas e aos pobres. Dizem colocava os presentes das crianças em sacos e os jogava dentro das chaminés à noite, para serem encontrados por elas pela manhã. Dessa tradição que veio a sua fama de amigo das crianças. São Nicolau é a figura do querido Papai Noel.
Oração:
Senhor, pelos méritos de São Nicolau, concedei-me a graça da bondade e zelo para com os mais aflitos, necessitados e em especial para com as crianças. Que eu saiba aprofundar em mim os dons que me destes, colocando-os em prática. Livrai-me da omissão e da preguiça. Amém.
Colaboração: Padre Evaldo César de Souza, CSsR”

Junia Turra

Jornalista internacional, diretora de TV, atualmente atuando no exterior.

Jornalista internacional, diretora de TV, atualmente atuando no exterior.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *