20 de abril de 2024
Colunistas Junia Turra

Das coisas insuportáveis

Tem algumas coisinhas que são mesmo insuportáveis:

Namastê – a palavrinha repetida por uma maioria hipócrita assexuada com cara de cu.

E lá vem a tal da Gratidão. Gente ingrata. Pelamoooor de qualquer coisa. Vai ser grato assim na casa da mãe Joana. Ah, mas tem mais: dá pra parar de mandar a tal música insuportável, que broxa qualquer um, a melô da caganeira? “eu te desejo vida longa vida, te desejo a sorte de tudo que é bom, deseja chuva na varanda, dias de sol…”

Eu nem vou dizer o que desejo pra nao ficar desagradável a postagem…

E a porcaria não termina nunca, deseja a paz da andorinha e vai por aí…. QUE CHATICE!

A letra é simplesmente medíocre, a melodia segue o ritmo. Vem Pablo Vittar, balança as bolas, porque tem horas que o ruim pode ficar pior.

Ah, e se ficar indignado ao cubo com o que eu disse, vai entender perfeitamente o que eu sinto com o que citei. Aí sim, estaremos no mesmo patamar. Mas cada um com o seu cada qual.

Se encontrarem a Alice Acorrentada, chamem o coelho.

Fica a dica…

N.E.: Coluna publicada em abril de 2018

Junia Turra

Jornalista internacional, diretora de TV, atualmente atuando no exterior.

Jornalista internacional, diretora de TV, atualmente atuando no exterior.

1 Comentário

  • RACHEL ALKABES 16 de dezembro de 2023

    Oi Junia! Meu Deus, a chatice e a “obrigação de ser politicamente correto ” tomaram conta de tudo, inclusive, de instituições. Para desgraça da evolução cultural, vamos levar 1 século para isso sumir, correndo o.risco de existirem focos sobreviventes, se dermos sorte. Amo sua coragem. Jornalista boa é jornalista corajosa. Amo seus textos também, quando os entendo e atravesso a sutileza. Esse é direto, curto e grosso. Amei.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *