24 de abril de 2024
Colunistas Junia Turra

“A Liberdade é o Privilégio de Todos os Seres Vivos”

Seja livre
Nunca aceite aquela conversa de que não se pode criticar . Critique com argumento. Pergunte se há dúvida. Pergunte se você quer saber, aprender, compreender.

Julgue
Sem juízo de valor não se faz nada. Ou isso ou aquilo? Julgamos . Julgue e perdoe quando o pedido de perdão for sincero e você queira aceitá-lo. Não perdoe quem não se arrepende. O mal existe.
Muitas vezes é sangue do seu sangue.
Corte vínculos.
Fique bem.

Cale-se diante de idiotas que nada acrescentam.
Retire-se se for perda de tempo.
Dê de ombros , ignore , deixe falando sozinho. Saia no tapa, mande um belo palavrão, se couber. E se não couber , desculpe-se se couber desculpas.

Desça do salto, ou nem suba nele , mas aprenda a descer a ladeira com a lata d’água na cabeça sem derramar nenhuma gotinha.
O Tempo
Tempo é o bem mais precioso.
Não o desperdice.
E dê tempo ao tempo. O Tempo não se modifica na eternidade da Vida. Mas a vida na sequência do Tempo se transforma. Aqui se faz, aqui se paga, o Tempo dirá!
A Vida
Não existe vida para quem não se liberta do medo, das amarras, para quem não sabe SER fora dos comandos , ordens e grupos. Quem pode o mais , pode o menos mas quem pode o menos não pode o mais.
A Leveza
Aprenda a ironia, a piada, o bom humor , a rir da desgraça. Ria de si mesmo e ria das situações por mais absurdas que sejam. De nada vai adiantar ficar angustiado. O bom humor salva! A medicação para não sentir dor não resolve, vicia e aumenta o precipício.
Troque o tarja preta pelo vinho, pela poesia, pela virtude , como escreveu o francês Charles Baudelaire, no Spleen de Paris.
Sobreviva
A dor nua e crua não mata. Há um ponto de catarse em que se liberta dela. Cabe apenas para aqueles que sabem quem são, o que não são e o que não querem ser.
Quando ninguém pode ser seu dono, ainda que te escravize, você jamais se perderá de si mesmo porque não abrirá mão da Liberdade.
Pense com o cérebro. Equilibre-se.
Chorar e se descabelar em momentos onde é preciso raciocinar tem enormes chances de fazer valer o ditado : “meteu os pés pelas mãos”.
Não importa o que achem de você. Importa o que você acha de si mesmo.
Todas as noites em que se coloca a cabeça no travesseiro alguns dormem em paz, outros, não dormem.
Ninguém foge de si mesmo, da própria sombra, dos próprios demônios. Ninguém escapa da consciência pura e simples, da essência que se carrega desde sempre e para sempre.
Tire a máscara, e viva. Porque as máscaras caem… Ninguém foge à sua própria natureza.
Mentira tem perna curta ainda que dê muitos passos.

Tempo & Liberdade!
Use juntos!
Cura todos os males

https://www.facebook.com/watch/?v=2734636203452118

Junia Turra

Jornalista internacional, diretora de TV, atualmente atuando no exterior.

Jornalista internacional, diretora de TV, atualmente atuando no exterior.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *