22 de julho de 2024
Colunistas Joseph Agamol

Nós ainda vamos estar aqui para ver o sol

Foto: Kiel James Patrick

Porque, vocês sabem, caminhar sob a tempestade é só uma parte do caminho.
Eu acredito que ficaremos encharcados até os ossos, e vamos tremer até sentir como se os ossos fossem se desprender!
Eu sei que nossas botas ficarão cobertas de lama e vai fazer frio de enregelar a alma.
Não haverá vestígios da lua e as estrelas nos negarão até um brilho de aluguel.
A estrada à frente vai ser escura e, se desviarmos o olhar, veremos brilhos estranhos na mata.
O segredo é não desviar e manter o norte mesmo em meio ao temporal.
Porque, na imagem que persigo e que segue à minha frente, como as luzes que víamos quando crianças,
Como um espírito patrono ancestral,
Há uma cabana, e, nela, há uma única luz acesa
Mas seu lume é tão intenso que ela não apenas ilumina, ele simplesmente NEGA à escuridão o existir!
A Luz, branca como uma veste de anjo, aquece como um sol outonal,
E eu sei que na Cabana há uma mesa posta, simples, com pão e café quente
Que matarão a fome do corpo e acolherão a alma
Haverá uma cama com lençóis limpos e cobertores,
E um cão dormindo no tapete.
E eu INTUO uma presença, tão magnífica que, até quem tentasse olhar para seus pés, não conseguiria, não conseguiria.
Mas, nessa imagem que persigo, há uma chave embaixo do capacho, e uma porta que se abre,
E eu me banho, me visto, como, bebo, e me deito.
E do caminho sob a tempestade restará apenas cascalho e quartzo em nossas botas.
Porque a manhã nascerá de novo, e abriremos a porta da cabana, imersos em Luz, NA luz,
E seremos nós
Que ainda vamos estar aqui para ver o sol.

Joseph Agamol

Professor e historiador como profissão - mas um cara que escreve com (o) paixão.

Professor e historiador como profissão - mas um cara que escreve com (o) paixão.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *