21 de abril de 2024
Colunistas Joseph Agamol

“Go ahead. Make my day”

Hoje acordei com a frase icônica, da não menos icônica cena do super icônico personagem Harry Callahan, o “Dirty Harry”, do imortal Clint Eastwood, na cabeça.

A frase é um desafio. No contexto de “Impacto Fulminante”, de 1983, o quarto filme da série do detetive Callahan, ele a pronuncia enquanto aponta seu Smith & Wesson 29.44 Magnum para um criminoso que ameaça uma refém. A frase não possui uma tradução adequada em português. Mas seu sentido é que importa.

“Go Ahead. Make My Day.” é um grito de libertação em meio ao mundo gelatinoso em que nos movemos, cada vez mais carente de firmeza e decisão, uma frase emblemática de um personagem que não existiria nos dias de hoje, de um filme que não seria produzido – sequer seria pensado! – nos dias de hoje.

Go Ahead. Make My Day.” não é sobre sacar armas e desafiar alguém a atirar. É sobre caráter. Princípios. Honra. E mais uma porção de coisas que tentam nos mostrar que não fazem mais sentido na sociedade em que vivemos.

“Go Ahead. Make My Day.” deveria ser mantida nos lábios e na mente, como um verdadeiro mantra para os dias de hoje, no qual homens e mulheres hesitantes apenas flutuam em uma sociedade que parece navegar decidida rumo ao caos.

Joseph Agamol

Professor e historiador como profissão - mas um cara que escreve com (o) paixão.

Professor e historiador como profissão - mas um cara que escreve com (o) paixão.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *