23 de fevereiro de 2024
Colunistas Joseph Agamol

Ações governamentais inúteis


Querem ver exemplos de ações governamentais que não servem para NADA nem para COISA ALGUMA e que deveriam portanto ser imediatamente CANCELADAS?
E que só servem para exaurir os parcos cofres públicos de recursos que poderiam ser mais bem empregados, por exemplo, AUMENTANDO os exíguos vencimentos dos nossos parlamentares?
Incentivo à leitura, por exemplo.

Ler PARA QUÊ, exatamente? Para se enfurnar num mundinho próprio e alienante e encher a cabeça de ideias? IDEIAS! Ah, vá virar uma laje, lavar uma louça, catar um feijão, que é melhor – e mais útil.
Campanha para que devedores paguem suas dívidas.
Fala sério, né?! DEVO, NÃO PAGO! NEGO ENQUANTO PUDER! O calote é esporte nacional: querem acabar com ele?! E tem mais: comprar incentiva o comércio. Depois nóis vê se nóis paga…
Ações para manter adolescentes na escola.
Peraê. PRECISO realmente rebater isso? Estudar? Tanto doutor e pós-doutor por aí, zanzando sem emprego, e você quer DESPERDIÇAR dinheiro com isso, ainda mais sabendo que um semianalfabeto foi eleito presidente?!
É pracabá, viu?!
Esse é o nível dos argumentos dos que se opõem à campanha “Tudo tem seu Tempo”, lançada pela ministra Damares para conscientizar os jovens quanto ao risco de gravidez precoce e DST’s.
Acham que exagerei? É daí pra pior…
(Este texto contém ironia em doses cavalares: se você é um – ou parente próximo, se é que você me entende – consulte um especialista.)

Joseph Agamol

Professor e historiador como profissão - mas um cara que escreve com (o) paixão.

Professor e historiador como profissão - mas um cara que escreve com (o) paixão.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *