20 de abril de 2024
Claudio Tonelli Colunistas

Com data e hora marcadas

foto: ilustração : fflch.usp

Quem se lembra de como nasceu o ‘impixi’ da Dilma? Não foi na Paulista não, foi dentro dos gabinetes dos deputados, depois que desfrutaram dos bilhões em emendas parlamentares, privatizações de todo tipo e dos milhares de decretos secretos assinados pela tal ‘presidenta’. O rombo no caixa foi gigantesco, quase quebrando o Brasil. A China e Rússia gostaram muito.

Um jurista chamado Admar Gonzaga, foi colocado às pressas, duas vezes, como juiz ad hoc no TSE para fazer voto minerva contra cassação da chapa Dilma/Temer. Pasmem! Eu disse duas vezes! Se você ainda não se lembrou que é esse tal de Admar Gonzaga, vou reavivar sua mente: lembra daquele advogado que chegou bebaço em casa, de madrugada, e arrebentou a ex-mulher no guarda-roupa e depois acabou virando secretário nacional do famigerado “Aliança Pelo Brasil”? Não quero ser fofoqueiro, mas foi esse mesmo Admar Gonzaga que emplacou a candidatura de Carlos Bolsonaro, como vereador pelo Rio de Janeiro, quando ainda era de menor de idade.

Agora que você já recapitulou parte e entendeu outros detalhes do tal ‘impixi’ fajuto, já adianto que a história se repetirá em breve com o ‘impixi’ do picareta, impostor e presidente de araque, que está aí. Os movimentos são tão sutis e sincronizados, que até a esquerdalha se confunde, e taxará de ‘gópe’ assim como ainda fazem no caso ‘Dilma’.

Os deputados, embora com suas burras cheias, sabem que o dinheiro do caixa acabou, e ali na Casa só se negocia com dinheiro na mão, antes chamado de ‘orçamento secreto’. O “presidengue”, como vem sendo chamado, já iniciou o seu processo oculto de auto demissão, colocando sigilo de 100 anos em mais de 1,5 mil documentos, inclusive na agenda da Janda, sua Primeira-dama. Dilma, repetiu o ato com mais de 2,5 mil decretos secretos e outros documentos, antes do ‘impixi’.

Já repararam que os discursos do impostor estão cada vez mais ácidos? Que a atual Primeira-dama virou ‘vice-presidenta’ e o vice-presidente virou aquele velho ‘picolé de chuchu sem graça de sempre?

Ele sabe que seu dia de fim de reinado está chegando, afinal, dividir o poder entre PSDB/MDB/PT, sempre foi a jogada do Foro de São Paulo. O outro irá se aposentar, afinal, já tratou de pôr a família inteira nos prósperos negócios internacionais, e sua aposentadoria definitiva já está fechada com os seus amigos banqueiros, através do comissionamento bilionário de precatórios.

E quanto à direita? Se é que existe isso no Brasil.

Ela terá o mesmo papel de folião no carnaval do ‘impixi’, com direito a trio elétrico na Paulista, camisetas amarelas e gritos de ‘Fora Lula’! Foi assim em 2015, onde serviu de incubadora para novos e duvidosos nomes políticos, os famosos ‘coxinhas’, que depois se revelariam como esquerdinhas, a exemplo do MBL e Vem Pra Rua.

Teve gente que até se acorrentou no Congresso Nacional para ganhar likes e votos. Foram pouquíssimas pessoas que perceberam a jogada e botaram a boca no trombone, sendo imediatamente calados pela multidão delirante, diante de tanta hipocrisia.

Não é meu desejo influenciar alguém, mas não seja massa de manobra, nem daqui, nem de lá. Analise fria e holisticamente o cenário, e saia da bolha enquanto é tempo, se é que ainda o temos.

Claudio Tonelli

Administrador e Consultor de Empresas, ativista político e estudioso de fraude eleitoral.

Administrador e Consultor de Empresas, ativista político e estudioso de fraude eleitoral.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *