E Vai Ser Dada a Largada!


Chegando na reta final, o espetáculo do turfe mais esperado dos últimos quatro anos. Nesse domingo, 28 de outubro, apenas dois cavalos estarão disputando lado a lado, o prêmio que pode levar o vencedor à presidência do hipódromo!
Um vai correr na raia da direita (Cavalo Militar), outro na raia da esquerda (Cavalo Árabe).
Embora esses cavalos, até hoje só tenham participando de corridas preliminares às corridas dos puro sangue ingleses (modo de dizer. Aqui, raramente ocorre a presença de um puro sangue), eles já estão em treinamento há bastante tempo.
Para que os apostadores possam escolher melhor o cavalo em que vão apostar, algumas informações são afixadas nos caixas dos hipódromos, como se fosse um currículo de cada animal.
🏇CAVALO MILITAR!
Ele já corre pelas raias adjacentes como representante da estrebaria, há 27 anos e, em seu currículo, constam vetos de projetos importantes para a comunidade equina (Plano Real, por exemplo), e a apresentação de mais de 600 propostas, das quais apenas duas foram aprovadas.
Entre as não aprovadas, estão projetos que tratam de benefícios destinados às tropas das Forças Armadas, tais como aumentos de salários, aumentos de benefícios estendidos aos familiares dos cavalos já aposentados, expansão dos planos de saúde para toda a manada, e de outras benesses destinadas à espécie.
Fora esses, em 2006 esse concorrente apresentou um projeto de lei que garantiria 50% das vagas para Deputados Federais, às populações de cavalos negros e pardos. No texto da proposta, não ficou claro, porém, se a população mencionada, precisaria se candidatar, ou não.
No ano seguinte, sugeriu que se criasse uma lei que extinguisse o exame da OAB para os equinos formados em Direito, uma vez que muitos não conseguiam trabalhar no ramo, porque não passavam nas provas.
Mais um projeto de suma importância, também não aprovado, foi apresentado em 2016 pelo concorrente. Esse desobrigaria o uso de farol baixo nas estradas, durante o dia, contribuindo assim para que o horsepower dos veículos não ficasse prejudicado.
🏇CAVALO ÁRABE!
Apesar de mais novo, esse cavalo corre atrás do primeiro concorrente, mas continua galopando para tentar chegar em primeiro lugar na reta final.
Sua ficha técnica, mostra um animal duro como um poste, mas obstinado e pretensioso a ponto de construir raias pintadas de vermelho, por todo o hipódromo paulista, que esteve sob sua direção entre 2012 e 2015, sem se importar com os altos custos que a medida acarretaria, ou se os preços para a execução da obra, estivessem superfaturados. Uma prática, aliás, que se tornou corriqueira, entre os animais de sua raça.
O concorrente é cria de um pangaré, mas que tem a astúcia de um puro sangue. Com seu trote meticulosamente arquitetado, enganou os apostadores, e já cruzou a reta final por duas vezes.
Depois, impedido pelas regras do jogo, de participar das corridas de 2010, mandou em seu lugar, uma fêmea da espécie “Equus Asinus”, que chegou em primeiro lugar, e ostentou a taça por quatro anos seguidos. Esse mesmo animal correu de novo em 2014, levou o prêmio, mas dois anos depois, sofreu uma queda grave e teve de ser sacrificado.
Se os currículos ainda não forem suficientes para que o apostador escolha seu cavalo, ainda tem os vídeos gravados durante o tempo em que esses concorrentes faziam suas campanhas para ganhar a confiança dos aficionados. Ainda assim, a escolha poderá ser difícil, já que as gravações mostram dois animais truculentos, que não medem palavras nem atitudes, pela disputa do prêmio. Teve cavalo chamando o outro de filho de uma égua e daí pra baixo.
Apesar dos pesares, e independentemente de fazermos apostas, o derby de domingo vai apresentar um vencedor!
Então vamos ao hipódromo com nossos chapéus, para nos proteger do sol, e com um escudo para nos proteger da sujeira que corre nos bastidores desse imenso curral, chamado Brasil!
PS: Aos que já fizeram suas apostas, que tenham sorte com o cavalo escolhido, e que levem junto os votos de que ele saiba o que fazer com esse prêmio.
Aos que vão lá para assistir de camarote, só resta uma saída: esperar pelas corridas de 2022!

Notícias Relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *