1 de julho de 2022
Colunistas Walter Navarro

O Zé do leite de Bodocó

A Bastiana, esposa de Zé do Leite de Bodocó, ia pela rua de Ouricuri – PE, quando cruzou com o sacerdote.

O padre disse-lhe:

– Bom dia.

– Por acaso você não é a Bastiana? A quem casei já há dois anos na minha antiga diocese em Bodocó?

Ela respondeu:- Sim, Padre, sou eu mesma!

O sacerdote perguntou:

– Mas não me lembro de ter batizado um filho seu. Não teve nenhum?

Ela respondeu:

– Não, Padre, ainda não.

O padre disse:

– Bem, na próxima semana viajo para Roma. Por isso, se você quiser, acendo lá uma vela por você e por seu marido, para que recebam a bênção de poder ter filhos.

Ela respondeu:

– Oh Padre, muito obrigada, ficaremos ambos muito gratos!

Alguns anos mais tarde encontraram-se novamente. O sacerdote, já ancião, perguntou:

– Bom dia Bastiana. Como está agora? Já teve filhos?

Ela respondeu

:- Oh, sim, Padre, 3 pares de gêmeos e mais 4.. No total 10! Indo pro décimo primeiro!

Disse o padre:

– Bendito seja o Senhor! Que maravilha! …

E onde está o seu marido?

– Está a caminho de Roma, pra ver se apaga a porra da vela que o senhor acendeu…

Jornalista, escritor, escreveu no Jornal O Tempo e já publicou dois livros.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.