Sai Desse Corpo Que Não Te Pertence!


Alô, homossexuais em geral, ativos, passivos, imobilizados, de dentro ou de fora do armário, que sofrem preconceito por parte da moderna sociedade do século 21! “Seus probrema se acabaram-se”! As Organizações Tabajara do Distrito Federal, têm a solução!
Agora os psicólogos vão poder orientar seus pacientes gays, para que vejam a vida por outro lado, de acordo com a liminar concedida por Waldemar Cláudio de Carvalho, juiz da 14ª Vara de Brasília (talvez isso explique. É muita vara pra uma pessoa só).
Em 1990 o Conselho Mundial da Saúde retirou o homossexualismo do Código Internacional de Doenças, e o Brasil passou a seguir essa orientação a partir de 1999. Com essa resolução, os profissionais ficaram proibidos de tentar qualquer tipo de tratamento que visasse a reversão da condição sexual de seu paciente.
Mas esse juiz da capital federal parece que não gosta dessa história de homem com homem, mulher com mulher, faca sem ponta, galinha sem pé! Na cabeça dele deve passar que uma boa conversa, ou quem sabe, um remedinho, possa fazer com que a Tammy Gretchen volte a balançar seu bumbum femininamente sensual ao lado da mãe.
Segundo diretor do Conselho Federal de Psicologia, Pedro Paulo Bicalho, “reorientar gays” é como querer “embranquecer o negro” que sofre com o preconceito. É como se o problema estivesse na cor da sua pele e não na cabeça oca da sociedade.
Ainda se fosse algum tratamento para curar falha de caráter de político, vá lá! Nesse caso, o procedimento deveria ser até obrigatório. (Imaginem como ficariam lotados os consultórios de Brasília?).
Então, por favor senhor juiz, pare agora! Não vê o absurdo da sua liminar? Não vê que alguns oportunistas até poderiam oferecer a tal “cura” a altos custos com intermináveis sessões de terapia? Sem êxito, claro! (se é que isso poderia ser considerado um êxito).
Deixa cada um ser como é! Esse tratamento “non equiziste”, diria o padre Quevedo! Não perca o seu tempo, nem o nosso, com liminares desse tipo. Vai bater um bolo ou lavar um tanque de roupa, que é mais profícuo.
Se homossexualismo fosse uma doença, certamente, a mulherada dos anos 60 teria feito uma vaquinha para pagar um tratamento com o melhor terapeuta do mundo, para que o belíssimo, sensualíssimo, gostosíssimo Rock Hudson, perdesse o medo de perereca, némesm?

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *