Maria gasolina!

cartao_combustivelFoto: Arquivo Google

Há poucos dias, Dilma Rousseff pediu pra receber o cartão-combustível,  no valor de R$ 3.000,00,  a que têm direito os ex-presidentes.
E daí? Vão perguntar os dilmistas. FHC e Lula também não recebem?
Ok! É um direito deles, embora ache que o FHC não precise disso. Aquele lorde inglês nasceu em berço esplêndido e uma bolsa-gasolina pra ele, seria uma espécie de gorjeta que daria pro manobrista do restaurante francês que frequenta, se não fosse um pão-duro.
Pro Lula, que ganha tanto dinheiro com “palestras” que faz mundo afora, isso é de uma insignificância tão grande que chega a ser uma afronta perto do “combustível” que ele já levou das empreiteiras “odebrechianas” desse país! Como dizem por aí, isso é dinheiro de pinga para ele.
Mas para Dilma, esse cartão é primordial.
Afinal os quase 31 mil reais por mês de salário de presidenta “impichada” e os outros cinquinho de aposentada que ela abocanhou furando fila no INSS, não dariam para pagar todas as suas despesas e ainda encher seu tanque.
Com esses 3 mil reais a mais, ela teria à sua disposição quase mil litros de gasolina para ir onde quisesse, todos os meses.
Ela poderia por exemplo, com essa verba extra, sair de Porto Alegre onde mora, e ir dirigindo até a Venezuela, reabastecer por lá, onde a gasolina é muito mais barata do que aqui, e voltar pra casa com um belo troco no bolso, além de poder fazer uma visita ao seu grande amigo Nicolás Maduro.
A não ser que ela tenha um Rabo de Peixe (ops, sem ofensas. Estou me referindo ao carro). Esse veículo dos anos 60, é um bebedor de marca maior (de novo estou me referindo ao carro e não ao outro ex). Daí sim, ela consumiria os 3 mil reais rapidinho e então se arrependeria amargamente de ter permitido todos os aumentos da gasolina nesses últimos cinco anos em que ela pedalou, digo governou.
Dilma poderia voltar à sua bicicletinha e parar de querer tirar mais proveito da sua ex-condição.
Alguém que afundou o país no lodo até o pescoço, faria melhor se ficasse quieta no seu canto para não dar mais o que falar. No máximo, poderia pedir alguma coisa que não chamasse a atenção.
Se no lugar da bolsa-gasolina tivesse pedido uma bolsa-familia, ninguém iria notar. Milhares são distribuídas indiscriminadamente por aí para vendedores de votos e para asseclas que pegam o dinheiro do bolsa-família para comprar caviar. Mas não! Ela faz questão do bolsa-gasolina a que têm direito os ex-presidentes, e assim voltar à mídia.
Ela optou pelo ditado “falem bem ou mal, mas falem de mim”.
Não precisava, dona Dilma! Com o desenrolar das delações premiadas, a senhora indubitavelmente voltará à mídia muito em breve e com muito mais ênfase!
E certamente, não vai mais precisar mais abastecer seu tanque!

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *