24 de abril de 2024
Editorial

Rescaldos do carnaval

Oba! Já acabou? Sério mesmo? Que ótimo, assim podemos voltar às nossas atividades habituais, saindo e chegando em casa sem ter que conversar e convencer, um ou mais guardas municipais, que você é morador daquela rua e que, portanto, tem que passar para guardar seu carro em casa.

Antes de iniciar esta festa momesca, recebi, de um amigo, um checklist para se preparar para o carnaval. Ele dizia:

Ar Condicionado, ok;
TV, ok;
Netflix, ok;
Prime, ok;
Cadeira/sofá/cama, ok;
Bebidas: água, cerveja, vinho, whisky ou caipirinha, ok;
iFood ok…

Eu segui este roteiro ipsis litteris

Assim eu me preparei para passar o carnaval. Nada de TV aberta e nada de cinema – não que eu não goste, mas é que teria que sair de casa e dar de cara com alguns guardas municipais e/ou foliões impedindo ou dificultando minha passagem. Pensei em ir comer fora, o mesmo problema, daí fiquei mesmo no iFood. Era escolher o que comer, pedir pelo app e receber na porta de casa…

Só não abri mão da minha academia, dia sim, dia não, cumpri minha missão. Dores? Meu personal sempre pergunta: “Alguma dor, Seu Valter?”. E eu respondo: “Só as de costume.” Nada que um gelinho depois, refastelado na cadeira assistindo a filmes e séries, no ar condicionado. Alô Dona Light, quebra o galho na conta deste mês?

Ô coisa boa!!! Entre um “pause” e um “play” sempre houve tempo para um xixi ou dar olhada rápida no celular para saber se tinha acabado o mundo e ninguém tinha me avisado. Ainda não foi desta vez que acabou. Não rolou, ainda bem… os hotéis comemoram a lotação de mais de 90% de seus quartos. Os vendedores ambulantes, idem. O governo também, já que a arrecadação sobre muito neste período.

Sobre a apuração dos desfiles das Escolas de Samba… não, não estou maluco e nem sendo incoerente. Eu não gosto de carnaval e não vejo os desfiles, mas gosto de ver a apuração só no finalzinho, não tenho saco pra ver desde o início… e a Viradouro ganhou no Rio, mas algumas escolas entraram com recurso, alegando que ela usou mais figuras na Comissão de Frente do que o regulamento permite.

Vi que a Liesa – nem sei se é este o nome ainda – vai decidir. Pela contagem, a penalidade para o descumprimento do quesito seria 5 décimos, mas como ela teve 7 décimos de vantagem, morre na origem o recurso. Só pra não ficar carioca demais, em São Paulo, que vem melhorando muito seu carnaval, ganhou a Mocidade Alegre.

De qualquer jeito, acho muito estranho esta vitória por décimos. O jurado (ainda são 3 por quesito?), diante do que viu, decide se a escola vai ter 0,1 ou 0,2 de pontos tirados da nota máxima… eu não consigo entender isso… vá ser especialista assim na… vocês sabem… rs

Imaginem-se como um jurado: ao ver a 1a Escola, se apresentando no quesito que lhe pertence: tudo muito lindo, perfeito, nenhum erro… daí ele vai dar 10? Não!!! Ele não vai dar 10 porque não sabe o que vem pela frente. Pode ser que uma outra Escola que esteja muito, mas muito melhor, daí ele opta para dar 9.9 na primeira, e assim a Escola já perde um décimo… e assim por diante com os demais jurados nos demais quesitos.

O carnaval de rua anda em alta em todas as capitais. Há blocos antes, durante e depois do período “oficial do carnaval”… Meu Deus!!! 100mil, 200mil, 1 milhão de participantes, naquele calor saariano – 40 graus no termômetro, mas 48, 50 graus de sensação térmica. Haja cerveja (e banheiro).

Lembro que há alguns anos o bloco Chave de Ouro saía na 4a feira de cinzas e a polícia reprimia, prendendo os participantes… coisa do passado… hoje a festa dura quase 10 dias, senão mais…

Não, não vou falar de política hoje, muito menos do ministro Alexandre de Moraes sendo desmentido pela PF quanto à suposta agressão no aeroporto de Roma e, muito menos, da fuga de presos em um presídio de segurança máxima em Mossoró – RN. No entanto, uma frase que ouvi e li sobre este assunto, me chamou a atenção e vale a menção:

“É inadmissível que fugas ocorram em presídios federais.../…” o restante da frase não me interessa no momento… lamento discordar. Pra mim é inadmissível a fuga em qualquer presídio! Quem está preso tem que continuar preso, cumprindo sua pena. Ponto final!

Mas este não é o assunto deste editorial, que é de fim de festa. Por favor, menos circo e carnaval e mais seriedade na gestão da coisa pública.

A imagem ilustrativa deste editorial vai ser, bem humorada – dependendo do ponto de vista pode ser mal humorada – que caracteriza a situação de alguns cariocas em diversas momentos neste carnaval…

Valter Bernat

Advogado, analista de TI e editor do site.

Advogado, analista de TI e editor do site.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *