Triplo X: O pânico se apodera do filho de Garanhuns

sponholzMais uma vez, Lula ameaça processar quem tenta ingressar nos porões da sua alma (a mais honesta do país, na sua avaliação). Promete, agora, entrar com representação no Ministério Público de São Paulo contra o promotor Cassio Conserino, que diz ter provas para processá-lo por ocultação de bens. Seria mais coerente se o ex-presidente se explicasse, quando é questionado, sobre possíveis desvios de conduta. A política de “atacar para se defender” já está ultrapassada. E ninguém acredita mais nela.
Esta denúncia não pode ser motivo para que Lula acione o referido promotor. O ex-presidente não é intocável e precisa parar de se colocar acima do bem e do mal. Basta que se defenda normalmente, por meio de seus advogados, como qualquer mortal. Presunçosamente, proclama-se o mais honesto dos mortais, destila ódio e raiva a quem discorde de suas ideias e questione seus procedimentos. O promotor tem o direito e a obrigação de fazer o seu trabalho em prol do interesse público e do bem da sociedade, contra quem quer que seja.
Nada mais verdadeiro que o velho ditado “Quem não deve não teme”. E o que fica claro é que Lula teme, e muito, as investigações em torno de si e de sua família, senão seria o primeiro a permitir que as apurações fossem feitas, em vez de tentar barrá-las, fazendo uso de artifícios baixos e atacando figuras do Judiciário. A certeza de sua invulnerabilidade, em um possível processo de investigação é provocativa, mesmo não tendo foro privilegiado. Porque até agora só foi chamado nas investigações como testemunha? É um mistério que ninguém entende e, a cada dia, mais difícil de engolir.
Como é que pode uma família gastar cerca de R$ 800 mil na reforma de um apartamento e depois abandonar a ideia de utilizá-lo? Foi o que aconteceu com a família Lula da Silva, já que o empreiteiro relatou que a reforma foi quase uma nova construção do apartamento. Agora, a tropa de choque do governo e o tal Instituto Lula se apressam em dar explicações estapafúrdias, é claro, sobre essa tenebrosa transação. Tudo isso envolvendo negócios com a tal Bancoop, que era presidida pelo Vaccari Neto, que está preso, e lesou milhares de famílias, beneficiando a “família real”.
Agora só falta o Instituto Lula dizer que as visitas do ex-presidente Lula e D. Mariza ao tríplex do Edifício Solaris, em Guarujá, foram serviços de consultoria prestados à OAS.
Estas declarações de Lula dão indícios de que o pânico se apoderou do filho de Garanhuns.

Notícias Relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *