20 de maio de 2024
Ricardo Noblat

Enfim, alguma emoção na reta final do segundo turno para prefeito do Rio

eleicao-consuniEleições (Foto: Arquivo Google)

Em votos válidos, que é o que importa, caiu de 34 pontos percentuais para 22 a vantagem de Marcelo Crivela (PRB) sobre Marcelo Freixo (PSOL), segundo a nova pesquisa do IBOPE.
Vinte e dois pontos percentuais de votos válidos significam, na verdade, onze. Se 11% dos eleitores que estão com Crivela trocarem de lado, a vantagem dele simplesmente desmancha-se no ar.
Freixo derrota Crivela entre os mais escolarizados e os mais ricos. Os dois estão empatados na faixa dos eleitores com 16 a 24 anos de idade. A pesquisa trouxe outras notícias boas para Freixo.
Eleitores de Índio da Costa (PSD), o quinto colocado no primeiro turno, começaram a migrar para o candidato do PSOL, apesar de Índio ter anunciado seu apoio a Crivela.
Isso também está ocorrendo com eleitores de Pedro Paulo (PMDB), o terceiro colocado no primeiro turno. O PMDB se declarou neutro no segundo turno. Mas alguns dos seus dirigentes torcem por Freixo.
O avanço de Freixo e a queda de Crivela se devem à mudança de tom da campanha do candidato do PSOL. Ela começou de morna para fria. Esquentou e poderá pegar fogo nos próximos dias.
Diante do risco da derrota, Freixo passou a tentar desconstruir a imagem de Crivela. Foi para o ataque. O que obrigou Crivela a sair de sua área de conforto para revidar.
O recente debate travado pelos dois na Rede TV foi pau puro nos seus 25 minutos iniciais. Dali, as mútuas críticas saltaram para os programas diários no rádio e na televisão.
Resultado: enquanto Freixo se esforça para livrar-se da imagem de radical, seu adversário deixa de lado o “Crivela paz e amor” e assume sua face conservadora.
Dito de outra maneira: Freixo se movimenta na direção dos eleitores do centro, empurrando Crivela mais para a direita.
A vitória de Crivela segue como a hipótese mais provável. Mas Freixo ainda não perdeu.
FONTE: BLOG DO NOBLAT

Ricardo Noblat

Jornalista, atualmente colunista de O Globo e do Estadão.

Jornalista, atualmente colunista de O Globo e do Estadão.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *