17 de abril de 2024
Colunistas Ricardo Noblat

Desperdício de dinheiro público e falta de vergonha

E assim caminha parte da Humanidade…

A União gasta por ano 3 bilhões de reais com o pagamento de pensões a 60 mil filhas solteiras de ex-servidores públicos, informa o jornal O Estado de S. Paulo.

São filhas de diplomatas, auditores e desembargadores. Lei para isso foi criada em 1958. Em 1990, o governo deixou de reconhecer novas beneficiárias, mas a pensão continuou sendo paga a quem recebia.

Ocorre que 2,3 mil desse contingente já se casaram ou mantém relações estáveis; e 1,7 mil ingressaram no serviço público, descobriu a Controladoria Geral da União ao cruzar dados.

Essas mulheres deixaram, portanto, de atender aos requisitos da lei. E não se lembraram de avisar ao Estado. Avisar para quê? Para que suspendessem a pensão?

Um relatório do Tribunal de Contas da União, de meados de 2020, mostrou que até àquela data 620 mil pessoas receberam sem ter direito o Auxílio Emergencial para o combate à Covid-19.

À mesma época, pesquisa do Instituto Locomotiva conferiu que 3,89 milhões de famílias integrantes da parcela mais rica da população brasileira pediram e receberam o benefício de 600 reais.

Uma vergonha. Ou falta dela.

Fonte: Blog do Noblat

Ricardo Noblat

Jornalista, atualmente colunista de O Globo e do Estadão.

Jornalista, atualmente colunista de O Globo e do Estadão.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *