28 de fevereiro de 2024
Colunistas Paulo Antonini

Feliz dias dos homens!

Quero deixar meu protesto, reconhecimento e homenagem a esses homens que nos dias de hoje são jogados todos numa mesma vala dos cafajestes e facínoras.

Homens que com seus esforços e perseverança, construíram e seguem obrando esse mundo. Homens que dedicam suas vidas a sustentar pilares de uma sociedade com seu suor e trabalho. homens que diariamente vivem uma pressão sem igual pra receber o sustento de suas famílias e poder dar o melhor pra eles.

Esses homens, por uma orquestração suja e abjeta, se tornaram alvos indiscriminadamente de uma sociedade regida pelo politicamente correto, que os demonizam sem chance de defesa. Onde os argumentos mais sórdidos borbulham nas mídias com o  único intento de corroer esse pilar da civilização e poder tornar hegemônico um pensamento amoral e doentio.

Aos bons entendedores, não precisarei me estender, pois, sabem do que falo. Vejo os homens acuados e muitos, até, fazem inconscientemente, este jogo diabólico, por medo de não serem aceitos ou criticados.

Esses homens são os que saem na defesa do país, dos indefesos, dos desprovidos, eles, que dão a cara a tapa, estão contra a parede.

Não comprem a ideia imposta diariamente pela mídia de que somos toscos assassinos em potencial e misóginos.

Existem sim, homens cruéis, assim como existem mulheres vis, mas, não somos os escolhidos pelo nosso gênero, e sim, por sermos humanos, assim como, também, as mulheres.

Orgulhem-se de serem os machos dos clãs, nós, que erguemos  essa sociedade, juntamente com a força das mulheres, claro, mas, sem nossos braços para as grandes situações, estaríamos, como civilização, submergidos.

Não se deixem usar por mulheres raivosas e má intencionadas, não tema a opinião do politicamente correto, sigam sendo os machos da nossa sociedade, mas, sem esquecer da ternura, da gentileza e do amor ao próximo, qualidades que muitas mulheres e alguns podres cérebros, manobram pra nos destruírem como espécie.

Feliz dias dos homens!

Paulo Antonini

Paisagista bailarino e amante da natureza. Carioca da gema, botafoguense antes do Big Bang.

Paisagista bailarino e amante da natureza. Carioca da gema, botafoguense antes do Big Bang.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *