Herculano, Pompeia e Sorrento

Essa semana, nosso colaborador Laurent Cendras,  historiador de arte e guia em Paris, nos enviou um artigo de sua viagem para Herculano, Pompeia e Sorrento, na província de Nápoles, sul da Itália.

Ruínas Herculano
Foto Laurent Cendras

Lá descobriu lugares inesquecíveis, como as cidades romanas soterradas pela erupção do vulcão Vesúvio em 79 d.c. e Punta Campanella, território cênico, onde a Península Sorrentina se une à Costa Amalfitana. De acordo com a Odisséia, foi lá que Ulysses encontrou as Sirenas feiticeiras, os gregos construíram um templo à deusa Atenas e os romanos cultivavam a deusa Minerva. Uma área natural, maravilhosa, escondida e protegida.

Herculano
Foto Laurent Cendras

A primeira etapa da nossa viagem foi a descoberta da cidade de Herculano que, como Pompeia, foi soterrada pelas cinzas da erupção do Vesúvio. Muitos de seus habitantes morreram devido à erupção e a cinza modelou seus corpos na posição que estes tinham no momento da sua morte. As escavações de 1738 trouxeram à luz mosaicos de grande interesse e numerosas pinturas murais de cores intensas. Em 1990, novas escavações revelaram mais de 200 esqueletos de diversas idades, sexo e condições sociais. Até hoje, a cidade de Herculano continua sendo escavada. É menos conhecida pelos turistas que Pompeia, porém mais frequentada pelos pesquisadores.

Pompeia
Foto Laurent Cendras

No dia seguinte, subimos o vulcão Vesúvio. A erupção em 79 d.c. foi uma das mais conhecidas e catastróficas de todos os tempos e destruiu também as cidades de Estábia e Oplontis. Desde a última erupção em 1944, o Vesúvio permanece relativamente quieto, no entanto pode-se ver a fumaça saindo da rocha. Impressionante! É preciso alugar um carro para subir ao vulcão. A estrada é linda e selvagem e é sempre melhor ir pela manhã.

Subida para o VulcãoVesúvio
Foto Laurent Cendras

Continuamos o roteiro visitando o imperdível sítio arqueológico da cidade de Pompeia, considerado Patrimônio Mundial pela UNESCO. A erupção de 79 d.c. provocou uma intensa chuva de cinzas que sepultou completamente a cidade.

Vulcão Vesúvio
Foto Laurent Cendras

Pompeia esteve oculta por 1600 anos até ser reencontrada por acaso em 1748. Cinzas e lama protegeram as construções e objetos dos efeitos do tempo, moldando também os corpos das vítimas, o que fez com que fossem encontrados do modo exato como foram atingidos pela erupção.

Pompeia
Foto Laurent Cendras

Não deixe de conhecer as extraordinárias vilas antigas repletas de afrescos e mosaicos. Recomendo: a Casa do Fauno, uma das maiores e mais impressionantes residências romanas aristocráticas em Pompeia, com grandes obras de arte; a Casa dos Vettii, uma das mais célebres da antiga cidade; e a deslumbrante Villa dos Mistérios, de mais 2 mil anos, que reabriu em abril de 2015, após dois anos de restauração, com afrescos incríveis; para completar o passeio, o Jardim dos Fugitivos mostra os moldes em gesso das vítimas do Vesúvio, emocionante.

Casa romana
Foto Laurent Cendras

Recomendo passar um dia todo em Pompeia e almoçar no charmoso restaurante que fica na entrada do sítio arqueológico, com pratos da cozinha tradicional da região, simples e gostosa.

Anfiteatro Pompeia
Foto Laurent Cendras

De lá seguimos para a encantadora cidade de Sorrento, uma das maiores da Costa Amalfitana. Sua localização é única, com vista panorâmica para as ilhas de Capri, Prócida e Ischia. A vegetação é exuberante, com numerosos limoeiros e laranjeiras. Descobrimos no jardim do  prestigioso Grand Hotel Excelsior Vittoria uma espécie rara de limoeiro enxertada com laranjeira, dando ao mesmo tempo limões e laranjas.

Limoeiro laranjeira – Sorrento
Foto Laurent Cendras

Este hotel cinco estrelas é um dos mais sofisticados do mundo, construído em estilo vitoriano. Vale a pena ficar baseado lá e visitar toda a região, inclusive Capri, Ischia e Nápoles. O hotel também é conhecido pela alta gastronomia do chef Vincenzo Galano.
http://www.exvitt.it

Vista Hotel Excelsior Vittoria
Foto Laurent Cendras

Em Sorrento, visitamos a Igreja de São Francisco, secular, repleta de obras de arte preciosas e seu claustro, com uma mistura de estilos arquitetônicos, de influências árabes, renascentistas e góticas.

Igreja Sorrento
Foto Laurent Cendras

É super gostoso se perder pelo charmoso centro histórico da cidade, cheio de vielas e passagens secretas. Os famosos escritores Charles Dickens, Oscar Wilde e Máximo Gorki costumavam passar férias em Sorrento. Também foi lá que Nietzsche escreveu seu famoso livro “Humano, demasiado humano” e rompeu intelectualmente com Wagner.

Cidade de Sorrento
Foto Laurent Cendras

Boa Viagem!

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *