23 de abril de 2024
Saúde

Por que a obesidade é considerada uma condição crônica, progressiva e recidivante?

Até pouco tempo atrás, a obesidade e o sobrepeso eram considerados fatores de risco para as doenças crônicas não transmissíveis (DCNT). Mas, nas últimas décadas, essas condições passaram a ser reconhecidas como doenças crônicas por si só. Causadas por uma combinação de fatores genéticos, fisiológicos, ambientais e comportamentais, as DCNT demandam cuidados contínuos para que não progridam.

O que é uma doença crônica?

As doenças crônicas são classificadas dessa forma por apresentarem características comuns, como:

🗸 Aparecem gradualmente e têm prognóstico difícil de ser compreendido;

🗸 Se manifestam de formas diferentes ao longo de tempo;

🗸 Podem gerar incapacidades físicas, como perda de mobilidade, e também neurológicas;

🗸 Requerem mudanças no estilo de vida;

🗸 Demandam cuidados para toda a vida, já que não têm cura;

🗸 Possuem alta taxa de mortalidade.

A OMS reconheceu a obesidade como uma condição crônica em 1948. Assim como o diabetes, a hipertensão e as doenças cardiovasculares, a obesidade é uma doença crônica relacionada ao excesso de tecido adiposo, que aumenta o risco de complicações médicas no longo prazo e pode reduzir a expectativa de vida da pessoa. Além disso, a obesidade apresenta características de doenças progressivas e recidivantes, tais como:

Doença progressiva – o ganho de peso causa uma série de alterações hormonais, metabólicas e fisiológicas no organismo que aumentam a probabilidade de acúmulo de gordura e dificultam a perda de peso. Dessa forma, o próprio mecanismo da obesidade favorece o ganho de peso, de maneira progressiva.

Doença recidivante – tratamentos pontuais, de curto prazo, não alteram os fatores genéticos que impulsionam e mantêm o ganho de peso em pessoas com obesidade. Dessa forma, mesmo após a perda ou manutenção de peso por um tempo, existe a possibilidade de reganho, pois o organismo sempre busca o retorno do peso perdido.

Existem vários critérios para o diagnóstico da obesidade. Para uma triagem inicial da obesidade na maioria das pessoas, pode ser calculado o índice de massa corporal (IMC). É uma avaliação rápida e fácil de ser feita, mas que nem sempre leva em consideração a massa muscular.

Já a avaliação do percentual de gordura corporal, através da bioimpedância, é uma avaliação mais específica, que leva em conta também a massa magra. Outro método complementar de avaliação usado é a medição da circunferência da cintura, que melhor se relaciona com o risco de doenças metabólicas e doenças cardiovasculares.

Como a obesidade é uma doença multifatorial, crônica com manifestações que podem variar de pessoa para pessoa, o tratamento precisa ser individualizado e envolver profissionais de diferentes especialidades, conforme a necessidade.

Quais são os fatores de risco para obesidade?

O ganho de peso ocorre quando a quantidade de calorias consumidas excede a quantidade de calorias que o corpo usa no desempenho de funções biológicas básicas, atividades diárias e exercícios. Ele pode ser causado pela alimentação inadequada, falta de atividades físicas e outras condições que afetam o equilíbrio energético e o acúmulo de gordura, que não envolvem ingestão calórica excessiva ou falta de exercícios, tais como:

🗸 Síndrome metabólica;

🗸 Genética;

🗸 Tempo de sono insuficiente;

🗸 Tabagismo;

🗸 Consumo excessivo de bebidas alcóolicas;

🗸 Uso de medicamentos que favorecem o ganho de peso.

Além disso, existem ambientes obesogênicos, ou seja, que contribuem para hábitos de alimentação não saudáveis, para a falta de atividades físicas ou para outros fatores de risco, como o estresse e o tabagismo.

A obesidade pode causar outros problemas de saúde?

A obesidade está relacionada a mais de 200 outras condições de saúde – também chamadas de comorbidades. As mais comuns estão listadas abaixo:

🗸 Apneia do sono;

🗸 Depressão;

🗸 Hipertensão;

🗸 Diabetes tipo II;

🗸 Doenças cardiovasculares;

🗸 Doenças do trato digestivo;

🗸 Doenças hepáticas;

🗸 Pancreatite;

🗸 Osteoartrite;

🗸 Alguns tipos de câncer.

É importante ter em vista que o controle da obesidade diz respeito à melhora da saúde e bem-estar das pessoas com obesidade, não sendo apenas sobre a perda de peso.

O Boletim

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Torcicolo

Saúde

Cuidados com a pele