26 de maio de 2022
Rodrigo Constantino

Hora do recreio: análise da evolução da eleição americana em comentários jocosos

É uma da madrugada aqui em Weston, e três da matina no Brasil enquanto escrevo essas linhas. Como já bebi uma garrafa de espumante, conforme o leitor verá abaixo, constato, por um lapso de sobriedade e bom senso, que é arriscado demais tecer análises profundas sobre o fenômeno Trump neste momento. Textos mais sérios virão depois. Agora, decidi apenas reunir aqui os meus comentários jocosos da página do Facebook durante o desenrolar dos acontecimentos, para quem não teve acesso a eles. Seguem, em ordem cronológica, que é para ganharem momentum:
Estava correndo na esteira da academia e acompanhando a cobertura das eleições americanas pela Fox News, com gente do gabarito de um Bret Baier, uma Megyn Kelly e um Chris Wallace debatendo e expondo os fatos. Aí chego em casa e vejo na Globo News a comuna da Leilane comentando que Trump vigia o voto da mulher, com um sorriso mefistofélico no rosto, que não fez questão de esconder. Gente, a Globo ainda pode se afundar mais? Onde está a Fox News do Brasil? O brasileiro que só tem se “informado” pela Globo não faz ideia de como é alienado…
Chris Wallace, o respeitado jornalista da Fox News que foi o entrevistador do último debate presidencial, acaba de dizer que está se dando conta de que Trump pode mesmo ser o próximo presidente dos Estados Unidos. Quando disse isso, houve uma euforia do povo que está do lado de fora dos novos estúdios da emissora. Até aqui, é muito cedo para dizer. A corrida está apertada demais. Mas sem dúvida os dados já divulgados são piores do que o esperado para os democratas.
Fiz boca de urna na Flórida. Devo ter convencido umas 3 pessoas de que Hillary é ainda pior do que Trump. Se o magnata bufão levar mesmo o estado, fundamental para sua vitória, quero uma carta pessoal de agradecimento pelos meus esforços. Só para mostrar na Globo e rir do Bonner… 🙂
Guga Chacra, não chora! Meus leitores estão escrevendo que vc está dando bandeira, desesperado com o “risco” Trump (como se Hillary fosse algo seguro, bom). Não estou vendo, mas acredito neles. Não fica assim. Te pago uma cerveja aqui na Flórida, que é para vc conhecer de perto o povo, essa cambada de “alienados” que viveu na pele as “maravilhas” do socialismo. É bem diferente da turma aí de Nova York, ícone da esquerda caviar… 🙂
Rapaz, se Trump levar mesmo a Flórida, mesmo com toda a campanha da imprensa de que ele é “contra imigrante”, isso vai dar um verdadeiro nó na cabecinha dos “jornalistas”. Se quiserem, eu explico. Mas vou cobrar…
Leilane, que é vermelha até o último fio de cabelo, ao ver o resultado na Flórida.

blog-1362

“Análise” da imprensa: se Hillary vencer, o povo americano foi sábio, evitou o pior, rejeitou o “racista xenófobo”. Se der Trump, os ignorantes racistas sem educação e preconceituosos foram em peso votar. Aguardem para saber se a democracia presta ou não. Isso só dá para dizer DEPOIS dos resultados…
To aqui só de olho em vc, que cita a felicidade de Putin caso dê Trump, mas nada diz sobre a torcida de Maduro e Raúl Castro por Hilária Clinton…
Os que estão “surpresos” com a “inesperada” performance de Trump até aqui precisam sair da bolha em que vivem, abandonar a “análise” (torcida) da imprensa, toda de esquerda, e tentar compreender o fenômeno em curso, que não é contra a globalização, mas contra o globalismo desse establishment podre e corrupto. Brexit, acordo de “paz” com terroristas das Farc e agora Trump: tudo “inesperado”. Tudo “surpreendente”. Para aqueles que não estão conseguindo ler o mundo real…
Se as ações caírem muito por pânico com Trump, recomendo a compra, como no caso do Brexit. Principalmente de empresas de cimento como a Cemex. O governo mexicano vai ter que pagar pela construção do muro… 🙂
Pluralismo na Bobo News: “Olha que absurdo! Vai dar Trump na Flórida!”. “Ridículo!”. “Patético”. “Povo burro!”. “É um nazista!”. O debate foi ótimo. Os cinco convidados mostraram bem as opiniões divergentes. Próxima pauta: “Entenda como o mundo seria melhor com Hillary Clinton”. O que cada um de vocês pensa sobre isso?
O cara tem humor e ainda vai gerar empregos para os operários da construção, e a turma ainda reclama?

blog-1363

Pela “análise” da Goebbels News, Trump já está indo lá para Nova York para prender diretamente Hillary Clinton. Ops! Não seria uma má ideia…
Hilária Clinton quer processar os institutos de pesquisa e obrigá-los a pagar pelas toneladas de fogos de artifício compradas por sua campanha. Mas Trump poderia ser magnânimo na largada e, em nome da união do país, se oferecer a pagar por eles. Seria uma atitude louvável, eu acho, se ele ligasse agora para ela e dissesse: “Hey, nasty woman, never mind about all that fireworks you bought. Just fire them for me and I’ll pay you later!”
Boatos de que a Bobo News deu férias coletivas e decidiu que amanhã não funcionará para descanso dos seus funcionários. Na grade de programação, apenas repetecos de matérias antigas. Alguém confirma?
Recomendação médica para todos os “progressistas”: SOROS na veia! Pode não resolver a parada, como vimos mais uma vez, mas ao menos pinga um na conta de olho na próxima disputa…
A esquerda tem duas opções diante do que está acontecendo: entender que se trata de um establishment corrupto, arrogante, hipócrita e intervencionista contra os “de fora” cada vez mais indignados, que o Obamacare e o welfare state não são uma maravilha, que o multiculturalismo não é tão bonitinho na prática quanto na teoria, que o “capitalismo de compadres” não funciona, que a “marcha das vítimas oprimidas” já cansou; ou acusar o outro lado de ser nazista, preconceituoso, racista, idiota e ultra-nacionalista, além de reacionário e tacanho. Claro que vai optar pelo segundo caminho. Não seria esquerda se não o fizesse…
Tchau, querida! Ou melhor: Goodbye, darling!
Conselho de amigo: procurem focar nas análises domésticas, incentivando a Operação Lava-Jato. E só.

blog-1364

Acabei de tomar uma garrafa de espumante. Menos para celebrar a vitória de Trump, e mais para festejar a derrota de Hillary, de Obama, de Soros, da imprensa vendida, do Irã, do ISIS, de Fidel Castro e Maduro, das “minorias” organizadas e coletivistas, dos globalistas, dos corruptos de Washington e Wall Street, do establishment, enfim.
Momento nobre pós-Baco: “Quem se vinga depois da vitória é indigno de vencer.” (Voltaire) Não quero tripudiar dos “especialistas” todos da nossa imprensa, uma cambada de torcedores iludidos incapazes de compreender a realidade. Quero apenas que aprendam com os próprios erros, que isso sirva de lição. E acho que Trump, caso a vitória iminente seja mesmo confirmada, deveria ter uma postura de estadista na largada, e gostaria que falasse em união da América. Ele também será o presidente daqueles que votaram contra ele e até o repudiam. Deixemos o clima de hostilidade para a esquerda. São os “progressistas” que querem dividir para conquistar. O que queremos é construir. Eles são especialistas em destruir, apenas isso. O trabalho agora é “make America great again”!
blog-1365
Resposta: aquela em que o POVO, que a esquerda conhece apenas como abstração, escolhe o resultado. Essa democracia não serve, não é mesmo?
Segundo análise profunda de Arnaldo Jabor, vc tem mais alguns minutos para aproveitar o mundo. Seu fim se aproxima com a constatação da vitória de Trump. Aproveite como puder seus últimos minutos de vida…
Alguns questionam como posso celebrar a vitória de Trump sendo um imigrante nos EUA, e ainda por cima latino. Muito simples: sou um imigrante LEGAL. E um “law-abiding citzen”, sem uma só multa de trânsito, que respeita o “rule of law”, inclusive na largada, e que fugiu da América Latrina justamente por sua esculhambação e malandragem. O alvo de Trump são os ilegais. Como deveria ser em qualquer país sério com fronteiras. Ou seja, nada a temer aqui. Já o mexicano que rouba e acaba protegido pelas leis federais do Obama…
Eu sei que falei em não tripudiar dos “jornalistas”, mas será que pode ser só depois de amanhã essa postura mais nobre, Senhor? Parafraseando Santo Agostinho: dê-me a nobreza de espírito, mas não agora!
Nem tudo está perdido para os “liberais” californianos. Poderão afogar as mágoas na maconha e até viajar que Hilária é a “presidenta” americana. E, ao contrário da esquerda caviar carioca que fechou com Freixo, poderão fazer isso dentro do lei. O que, pensando bem, até tira um pouco da onda de “rebelde” seguro…
Ora, se a esquerda diz que quem votou em Trump é uma turma de “losers” da globalização, um pessoal ignorante, pobre e revoltado, e Trump teve os votos da MAIORIA, então quer dizer que essa “globalização” é PREJUDICIAL à maioria, principalmente dos mais pobres! Elementar, meu caro Watson. Por sorte dos liberais, não se trata daquela globalização que defendemos, de livre comércio, e sim de um globalismo coordenado por elites poderosas em simbiose com grandes empresários. Ou seja, Washington, Brasília, Bruxelas, não livre comércio. Isso explica porque aquele seu professor de história ou geografia que detona a globalização e o capitalismo condena ao mesmo tempo Trump e seus eleitores por serem contra a “globalização”…
Bem, foi isso. Como podem ver, o humor é fundamental, assim como ridicularizar a nossa imprensa patética. Se minha matemática não foi tão afetada assim por Baco, contei mais de 25 mil curtidas nesses comentários, mesmo com o avançar da hora no Brasil. Ou seja, o público gostou das tiradas, e aprova uma linha mais ácida contra a patota do lado de lá. O momento do recreio é importante, apesar de a coisa ser muito séria, e o fenômeno ser histórico, de importância inenarrável.
Mas essas análises ficam para depois, pois amanhã (ou seja, hoje) ainda preciso escrever as colunas da IstoÉ e da Gazeta do Povo. Boa noite. Ou, mais provavelmente: bom dia!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.