Obra-Prima do Dia: Arquitetura: Xuankong, o Monastério de Datong (século VI)

O mais fantástico dos monastérios budistas na China, o Monastério Xuankong (Suspenso) fica ao pé da montanha Hengshan, a 75 km de Datong. Construído no século VI, foi restaurado apenas três ou quatro vezes.

A força da fé sustenta Xuankong há onze séculos (Foto: Divulgação)

Os andares comprimidos uns contra os outros parecem apoiados em varetas tão frágeis quanto os palitos para comer que os chineses usam. Rochas enormes dão a impressão que vão cair sobre as construções a qualquer momento.

A elegante delicadeza do monastério (Foto: Divulgação)

Dois foram os motivos para que fosse construído nesse local. O primeiro é que essa região costumava ser um centro vital de comunicação e muitas pessoas passavam por ali. O outro, o rio Hunhe, que banha o vale lá em baixo, e que é bastante caprichoso. Quando há tempestades, o que ali é frequente, ele inunda tudo à sua volta.
No século VI, as pessoas acreditavam que um dragão dourado era a causa do tempo inclemente e logo viram a necessidade da construção de um templo budista, imprescindível para afastar o dragão. Mas bem longe do rio…

O dragão vencido (Foto: Divulgação)

O acesso é por uma ponte suspensa e depois por uma escada cavada na rocha. A vista lá de cima é estonteante.
O prédio mais importante do conjunto é o que abriga um enorme salão onde Buda, Lao-Tse e Confúcio estão sentados lado a lado.

As três religiões cultuadas em Xuankong: budismo, confucionismo e taoismo (Foto: Divulgação)

São mais de 40 salas, todas em madeira. Os visitantes ficam deslumbrados, mas sempre com o coração na boca, a sensação de fragilidade impressiona. As pranchas de madeira gemem a cada passo que se dá, o que aumenta a insegurança, apesar de todos saberem que há mais de mil anos Xuankong está ali, protegendo a região.
É um dito popular que aquela é obra sublime de Deus e dos Espíritos.
Monastério Suspenso, Hengsham, Datong, Província de Shanxi, China
Fonte: Blog do Noblat

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *