5 de março de 2024
Colunistas Junia Turra Uncategorized

Pra não dizer que não falei das Flores – Parte II

Dando sequência ao babado…

“Mamão dos Santos”…

Surgiu de onde? Saído de seminário.

Mas saiu do seminário, “por causo`de quê”?

Uai, gente…

O povo fala, viu?

Aliás, “o povo fala”, é quando o repórter entrevista as pessoas para incluir na “matéria jornalística”, na reportagem. Então…

“Mamão dos Santos” é jornalista… É mesmo?

Então vamos às perguntas…

Quem pagava o aluguel da residência bacana dele em Brasília? Quinze mil Reais por mês…

Ele trabalhava onde e com quê?

“Dia intirim” ali com uma estante feaaaaaa (sem “i” mesmo) atrás dele e posando de intelectual.

Depois…

“Mamão dos Santos” foi com a estante para os States como “pirsiguidu”.

A Bárbara, mineirim danada que é, ela meees, num foi pros States. Que barbaridade…

Será que é “because the coffee is not on the table”? But, “the book is on the table“. Escreveu o inconfidente Alvarenga Peixoto: “Barbara Bela, do norte, estrela…”

Mas a bárbara do Inconfidente ficou lá no século XVIII…

E você, fique aí pensando…

Te atualizei?

Mamão dos Santos mudou-se de mala e cuia para os States. Não é exilado, nem asilado.

Valendo um dólar, responda:

Ele garantiu o visto nos States de que jeito? A família dele foi pra lá, ou não foi?

Uai, gente… americano vê demais da conta. Viram eles juntim lá. Será fake news?

Óia que nóis conta tudim…

Guess who paga tudo?

Ah, não esqueça…

“Curta, compartilhe e inscreva-se no cana!l”…

Pior do que máscara na cara é a venda nos olhos.

O pior vírus é o que ilude, engana e induz as pessoas de boa fé ao erro em proveito daqueles “próprios” ou do grupo.

Esquerda ou direita?

Siga adiante sem nunca desligar o “desconfiômetro”…

Moral da história: tire o Mmmão do cardápio e faça um reza brava para todos os santos.

Fica a dica: sai do inferno que não te pertence!

Junia Turra

Jornalista internacional, diretora de TV, atualmente atuando no exterior.

Jornalista internacional, diretora de TV, atualmente atuando no exterior.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *