21 de abril de 2024
Colunistas Junia Turra

Quaestio disputata

Entre Visionários e Medievais: a escolha é sua!

Esse negócio de ET é até divertido.

Todos sabem tudo. Onde estavam todos esses mil anos? Porque não se manifestaram antes, caros extraterrestres terráqueos? Teríamos evitado dinossauros e evoluído mais rápido. Das civilizações antigas para o hoje:

O fogo que foi inventado? Apague rápido. Dizem que é ‘fogo amigo’, esquece. Ninguém larga a mão de ninguém.

Mas ainda bem que temos vocês: intérpretes da interpretação interpretada.

Faz tempo que dizem que há extraterrestres entre nós, mas agora há lunáticos demais para nos esclarecer.

Os Homo Sapientes!

Onde será que estavam até ontem, ou anteontem? Na caverna de Platão? Desculpem…

Na caverna em Plutão???

Não sabem nem quem foi Rui Barbosa. Pior! Confundem Rui Barbosa com a Rê Bordosa, mas entendem tudo do Universo 3 D Ômega X.

E nem conseguem usar o plural para ‘Iluminati’.


Escrevem Os ‘IluminatiS’. Não tem ‘s’, Camarada. Excesso de ‘s’ pode acabar em SS…

Ah, são os Vison-Visa-Visionários, matam a cobra mas não mostram o pau. Claro que não!

Nem prestaram atenção no Olho da Serpente. O motivo? Eyes Wide Shut!

Seja do jeito que for, que sorte a nossa termos entre nós tais humanos – ooops! ‘humanópodes’. Huuum, ‘humanóides”.

Aguardemos…

O céu esta azul com laranja e há marcas de nuvens em forma de algodão doce, papel higiênico, coisas fálicas e carneirinhos.


Ah, se você peidar e borrar um tiquinho, corra para baixar as calças porque tanta merdorreia em cima da verborreia é um sinal dos próximos capítulos.

Não, não acabou. Parece sina! Mas é Saga.

Tem mais!!!

Agora eles farão a tradução épica entre mundos. Desde o túnel do Central Park em Nova York até a Casa Branca.

E tem uns que se acham cultos e eruditos citando frases feitas on line. No flashback se perdem entre Bisset/Beauvoir/Bardot, imagina se chegam a Dante! Que inferno! Dantesco!


Não entendem nem frases simples, ‘Mens Sana In Corpore Sano’ ou ‘Libertas Quae Sera Tamen’, mas garantem que a Idade Média foi a Idade das Trevas.

Isso em meio à merda entrando nos chuveiros e pias da Cidade Maravilhosa, sofás e lixo nos rios e lotes vagos, por todo o país, bandidagem metendo bala na cabeça de policiais e tocando o terror na população, drogados na Cracolândia do maior centro financeiro da América Latina atacando a população, destruindo bens com direito a governante com perninhas de mariposa em calcinha apertadinha enfiada no ‘forevers’ e fala mansa em boquinha de chupa ovo querendo enfiar vaChina do patrão no fiofó alheio e fazendo terrorzinho:

– Aiiim, não deixo reunir no Natal e nem no Ano Novo.

E a resposta do povo?

-‘Medinho, tô com Medinho! De máscara, dendicasa: sou imorrivel!”.

Em que Idade das Trevas estamos metidos, hein, cara pálida?

Mas se é pra viajar no passado, temos sim os que são como Highlanders – parecem saídos dos tempos medievais.

Um por todos e todos por um!

Ao medo plantado globalmente respondem com o conhecimento. Assim como no ensino pelo Quadrivium, o método Platonista usado na Idade Média, que estabelecia o caminho do saber em 4 etapas matemáticas: Álgebra, Geometria, Música e Astronomia.

Vamos deixar de lado a turma dos “onipotentes, oniscientes, onipresentes visionários pra ingreis ver” destrinchando tudo entre mundos. Eles adoram tudo que é negativo, pavoroso…

Vamos nos ocupar com a vida real.

Com alegria e alto astral. Cara de Maria Madalena arrependida e ânus adocicado não resolvem nada! E temos muito a fazer. Arregacem as mangas, respirem fundo e vamos à luta.

“Habe nun ach! Philosophie, Juristerei und Medizin,
Und leider auch Theologie
Durchaus studiert, mit heißen Bemühn.
Da steh ich nun, ich armer Tor!
Und bin so klug als wie zuvor.’

Faust: Der Tragödie / Johann Wolfgang von Goethe

Junia Turra

Jornalista internacional, diretora de TV, atualmente atuando no exterior.

Jornalista internacional, diretora de TV, atualmente atuando no exterior.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *