Brasileiro na Síndrome de Michael Jackson – Puro Torpor!

Foto: http://www.folha1.com.br/

Na Europa isso é proibido. No Brasil, questão administrativa e que alavanca laboratórios e políticos que ganham muito . E não são só eles!
Brasil que ginecologista e até dentista receitam Rivotril para TPM e Prozac, também. Ah, na maioria das vezes, o segundo em doses “placebo”.
Na Europa, o médico perde o registro se prescrever algo do gênero. Remédios seríssimos para casos muito específicos. E na área psiquiátrica. TPM? Vai caminhar e tomar uns chás e tem uns comprimidinhos naturais de flor que acalmam. Custam barato . E não tem mimimi para enfiar Tylenol e outros parangolés. Há décadas a barata aspirina resolve.
Também não se automedicam. E também não combatem a febre tão cedo e tão baixa. Também é proibido anti-inflamatório e tem mais:
Antibiótico só em casos em que se exige mesmo! Mais ainda, agrotóxico é proibido em muitos países. Alemanha e Áustria, por exemplo.
Ah, e o número de AVC? Na Europa, desde o pós-guerra é o mesmo número. E em pessoas de idade. E no Brasil? Ah, recorde espetacular. Fora síndromes de pânico, a turma da depressão. Povinho doente, né? Não aguenta uma dorzinha, na alma então… já se dopa, de maconha a Rivotril. E muito álcool junto com os demais. Adoram um “coquetel”.
É a turma do “zuzoooo bem!”… Vai no máximo de verde e amarelo reivindicar isso ou aquilo ali na avenida da esquina. Imagina passar por umas guerrinhas. Anos- luz atrás do resto do mundo.
Um povo doente – Síndrome de Michael Jackson – com egos inflados à base do “me ajude com um comprimidinho, uma injeçãozinha, um pozinho, uma bebidinha, uma comidinha e detonando na vida real e no mundinho virtual, todo aquele que discordar de mim, mesmo se o motivo for chinfrim”.
Brasileiro, no mode on da baixa autoestima! E vomitando arrogância e inveja. E desejando o que é do outro…
Vamos mergulhar no estudo, na boa leitura, carpir um lote, visitar um centro de oncologia, mudar o foco… Ser feliz, caminhar em outra direção!

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *