17 de abril de 2024
Colunistas Joseph Agamol

Querem implementar as mudanças que levarão ao “admirável” mundo novo?

Que tentem. Mas terão que lutar para isso.

Ontem foi aniversário de Clint Eastwood e fiquei pensando no tanto que ele é representativo de um mundo que parece estar se despedindo.

Não me entendam mal: o mundo em que nós, neandertais e mamutes, nascemos, crescemos e aprendemos a amar não era perfeito. Nunca foi.

Mas foi erguido e sustentado com nossas próprias mãos, calosas e marcadas pelo sangue, suor e lágrimas de tanta peleja contra ditaduras.

Era e é um mundo bom, apesar das imperfeições, apesar de carecer de correções.

Mas era e é, em tudo e por tudo, um mundo melhor do que estão tentando nos impingir.

O que me anima é que as novas gerações nunca tiverem tanto acesso à Verdade – não aquilo que tentam vender como Verdade, não o simulacro, não o fantoche, mas a Verdade plena e real.

É um mundo bom. Vale a pena lutar por ele.

Joseph Agamol

Professor e historiador como profissão - mas um cara que escreve com (o) paixão.

Professor e historiador como profissão - mas um cara que escreve com (o) paixão.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *