24 de abril de 2024
Colunistas Joseph Agamol

Fortaleça sua musculatura mental

– não porque tempos difíceis se aproximam: já estamos neles. O que vem por aí são tempos hard-ultra-mega-piça-das-galáxias difíceis. Esteja pronto.

– leia livros atemporais. Ou seja: nada ou quase nada escrito dos anos 90 para cá. Nutra-se de cultura real. Crie uma casca protetora. E proteja.

busque ouvir música BOA. Lembra da dica acima, dos livros? É a mesma: só muda a data. Só se fez música BOA até os anos 80 – e a melhor foi nos 70. Ignore disposições em contrário.

– evite consumir lixo. Mantenha-se longe de fast-foods, sejam de comida, sejam de ideias. Erga uma cerca de arame-farpado ao seu redor e ponha uma placa: “keep out!”, como nos desenhos animados dos anos 60.

– aproxime-se de Deus. Quer dizer: apenas fique imóvel e sinta Ele por perto. Porque o Eterno nunca se afasta. Você é que é besta e às vezes não percebe. Crie um campo de força em volta de si e dos seus, como Spock em “Star Trek”.

– mantenha uma real percepção sobre o que realmente importa e o que não vale o que o gato cobre. O que é significativo e relevante cabe em uma contagem dos dedos das mãos: Família. Princípios. Honra. Bravura. Gentileza. Serenidade. O resto, quase sempre, esqueça. Levante a ponte levadiça entre você e o resto do mundo e encha o lago de tubarões-brancos, crocodilos-marinhos e o monstro de Loch Ness. Quem disse que ele não existe?

– compreenda que há coisas que você pode fazer e coisas que não pode. Você não pode ter Audrey Hepburn nem Ava Gardner, nem Sean Connery nem Paul Newman. Mas pode deixar de se importar com o que não pode e começar a agir com o que está ao seu alcance: não minta. Não escamoteie. Arrume a cama de manhã. Lave a louça à noite. Poupe água. Deixe água para os bichos de rua. Olhe nos olhos. Abrace como um urso-pardo-do-Alasca. Ofereça braços e peito, mas, se estiver distante, ofereça ao menos seus ouvidos.

– perceba que, aconteça o que acontecer, o sr. Tempo vai passar. Aceite que o Tempo, como naquela antiga fábula, é um curso d’água sob uma ponte, sobre a qual você contempla seu fluxo eterno, ora turbulento, ora sereno. Quer você veja o substrato cristalino sob as águas-Tempo, quer contemple apenas seu reflexo distorcido nas ondas selvagens, mantenha em mente, como um mantra: vai passar.

Fortaleça sua musculatura mental. E pense: vai passar. Porque vai. Sempre vai.

Joseph Agamol

Professor e historiador como profissão - mas um cara que escreve com (o) paixão.

Professor e historiador como profissão - mas um cara que escreve com (o) paixão.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *