29 de fevereiro de 2024
Colunistas Joseph Agamol

A Dra. Janaina Paschoal disse que o presidente é inocente no caso Moro


Sim, amigos e vizinhos: é isso aí mesmo. Não, eu não bebi uma gota – a não ser que vocês considerem o café: já estou na segunda xícara.
Nessa altura do campeonato, a Dra. Janaina admitir a inocência do Bolseiro, seja no que for, é mais ou menos como encontrar um corinthiano dizendo que, olha, o Palmeiras foi campeão mundial, sim.

Então, admitir que o ex-ministro errou pode não ser fácil. Inclusive para mim, que escrevi textos elogiando Sergio Moro usando palavras que não usei nem para o presidente. E não mudo uma vírgula sobre a relevância que atribuo à sua atuação.
Também continuo achando que Bolsonaro podia ter conduzido esse imbróglio de forma mais tranquila para o país.
Portanto, integrantes dos Backstreet Moro, o fã-clube organizado do ex-ministro, o que eu espero de vocês?
Eu não quero um muxoxo entre dentes, um resmungo do tipo: “é, talvez o Bolsonaro não esteja lá tããão errado, nesse caso”…
O que eu quero é capitulação incondicional, rendição absoluta: quero que admitam que o ex-ministro teve, nesse caso, uma conduta equivalente à de um adolescente rancoroso que vaza nudes da ex que o dispensou.
Só isso: ele não é perfeito. Ninguém é. Ele errou. Todos erram. Eu não torcia para o América quando era um guri ranhento?
Mas eu sou magnânimo: podem fazer isso em casa, sozinhos, antes daquele momento diário em que vocês recostam a cabeça no travesseiro e odeiam o Bolsonaro uma vez mais antes de dormir.

Joseph Agamol

Professor e historiador como profissão - mas um cara que escreve com (o) paixão.

Professor e historiador como profissão - mas um cara que escreve com (o) paixão.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *