Test-drive com o Golf 1.0 TSi

Henrique e o Golf TSi Comfortline com seu motor 1.0 turbo

Uma das coisas de que mais gosto nessa minha profissão de jornalista automotivo é a possibilidade de conhecer – e, claro, dirigir – carros surpreendentes. Não falo daqueles supercarros esportivos, exclusivos, com desenho instigante, preço estratosférico e que a gente já sabe, quando gira a chave, que vão fazer nosso coração bater na mesma proporção dos altos giros do motor, enquanto o mundo lá fora vai se tornando um borrão. Esses são, claro, maravilhosos e me sinto abençoado cada vez que tenho a oportunidade de dirigi-los. Mas eu estou falando daqueles modelos “normais”, que cabem no orçamento de profissionais liberais comuns, de classe média – ou, vá lá, de classe média alta.

VW Golf Comfortline TSi 2017

Carros que são fabricados às centenas de milhares e que, se emplacarem no mercado, poderão estar nas garagens de qualquer condomínio por aí. Normais, mas diferentes, capazes de mudar para melhor o humor de quem vai guiá-los, capazes de surpreender um calejado jornalista.
É claro que uma coisa surpreendente não é obrigatoriamente boa. O mundo está lotado de surpresas desagradáveis que confirmam isso e o segmento dos automóveis não é exceção. Mas, no caso do Golf deste post e de nosso vídeo, felizmente, o inesperado foi para o lado positivo. Mas chega de enrolação e vamos logo ao carro.

VW Golf de várias gerações

Eu já tinha dirigido muitos outros Golf, inclusive os da geração atual, talvez a melhor de Todos os tempos. Dei gargalhadas ao volante de um GTI no amarrado autódromo onde gravamos o Oficina Motor e, também lá, comprovei as qualidades da versão 1.4 TSi. E por isso mesmo, quando soube do lançamento de uma nova versão do carro, com o motorzinho 1.0 de três cilindros turbinado do UP, não fiquei lá muito animado. Mas fiquei, sim, intrigado.
Pois bem, lá fui eu dirigir essa verdadeira provocação sobre rodas. E para colocar ele à prova, resolvemos logo de cara encarar uma subida bem puxada até o Mirante Dona Marta, no caminho das Paineiras, que ficam no alto daquele lindo paredão verde que separa as zonas sul e norte do Rio. E ele subiu com muita facilidade, como se essa fosse a sua brincadeira preferida: subir montanhas. Nada como ter torque, muito torque….
Como em todos os carros turbo, você já sente todo o torque do motor em baixa rotação. Nesse caso, ele fica mais parrudo entre os dois mil e os três mil e quinhentos giros, quando os 20,4 kgfm de disposição estão bem abaixo do seu dedão do pé direito. Mas nem tudo é assim tão perfeito nem rimadinho.

Motor do Golf TSi Comfortline com seu motor 1.0 turbo

É que antes de o giro chegar a esses dois mil rpm, geralmente quando você está com a primeira das seis marchas manuais engatada, há uma espécie de “buraco” com o qual é preciso se acostumar. Se não, o carro refuga e até apaga – como, aliás, não espalha, aconteceu comigo algumas vezes no começo do teste.
Outra peculiaridade desse motorzinho de três cilindros é que, mesmo com a ficha técnica informando que sua potência máxima é alcançada aos 5.500 giros, na prática não adianta muita coisa você esticar as marchas muito além dos quatro mil rpm. O grande barato é usar o câmbio dentro da tal melhor faixa de torque, com o conta-giros apontando pouco acima dos 3.500 rpm. Assim o carro ganha velocidade bem rápido e, de quebra, bebe pouquíssimo.
E esta é, sem dúvida nenhuma, a principal – e talvez única – vantagem racional dessa versão do Golf. Ele é moderadíssimo no consumo. Sem respeitar muito as indicações de torcas de marcha no painel, mas, também, sem esgoelar o motor o tempo todo, consegui uma média de quase 12 km/litro de gasolina na cidade.
Isso com um monte de engarrafamentos subidas de ladeiras e voltinhas para gravação no caminho. Quando estava em uma via expressa, a uma velocidade constante, o computador de bordo marcava sempre um consumo instantâneo em torno dos 18, 19 km/litro. A média em estrada (não tive a oportunidade de ir com o carro a uma delas…) registrada por colegas foi de uns 14,5 km/litro. Nada mau. A ficha técnica completa do carro está no final do post.
O legal é que, tirando esse modo meio diferente de trocar as marchas, não há nada que diferencie radicalmente esse Golf de seus irmãos mais caros. O acabamento é bacana, os bancos são quase esportivos e apoiam muito bem, há recursos legais como saída de ar-condicionado regulável para os ocupantes do banco de trás, porta-trecos… O acerto de suspensão é também o mesmo, macio na dose certa para ser confortável sem sacrificar a excepcional estabilidade. E é ótimo de dirigir.

Henrique e o Golf TSi Comfortline com seu motor 1.0 turbo | Alexandre Kacelnik

Por fora, visualmente, bom, ele tem a mesma cara de toda a linha Volkswagen.
Não que seja feio ou mesmo desatualizado, mas, para o meu gosto, um pouquinho mais de personalidade própria seria muito bem-vinda. Esse negócio de ser confundido com o Gol e, agora, mais ainda, como o Polo pode provocar, sei lá, uma crise de autoestima no motorista.
O Golf Comfortline 1.0 TSi custa na tabela a partir de R$ 75 mil. Mas um carro equipado igual a este das fotos e do vídeo, sai por aproximados R$ 95 mil (!). Para efeito de comparação, seu irmão imediatamente mais caro, com motor 1.4 TSi de 150 cv sai por a partir de R$ 104 mil – mas isso sem esse banho de loja do branquinho aí.

Golf Comfortline 1.0 TSi

Ficha técnica
Motor: dianteiro, transversal de 3 cilindros, 12 válvulas, turbo com injeção direta;
999 cc.
Potência (álcool/gasolina): 125cv / 116 cv
Torque: 20,4 kgfm a 2.000 rpm
Tração dianteira
Câmbio manual de 6 marchas
Freios a disco nas 4 rodas (ventilados na dianteira, sólidos atrás)
Suspensão: independente, McPherson na dianteira, por eixo de torção na traseira
Direção com assistência elétrica
Dimensões (mm): 4255 (comp.), 1799 (larg.), 1468 (alt.), 2630 (entre-eixos)
Peso: 1223 kg
Porta malas: 313 litros
Tanque de combustível: 50 litros
Desempenho (dados de fábrica): aceleração 0-100 km/h, 9,7s; vel. máx. 194 km/h, consumo (A/G, km/l) urbano 8,4/11,9 e rodoviário 11,9/14,3.
Equipamentos de segurança de série, além dos obrigatórios: air-bags laterais e de cortina, controles de estabilidade e de tração, isofix, assistente de partida em rampa, torque vetorizado (assist. em curvas), monitoramento da pressão dos pneus.

Golf TSi Comfortline com seu motor 1.0 turbo

Fonte: Blog do Noblat 

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *