4 de julho de 2022
Colunistas Yvonne Dimanche

Não sou monarquista e sim republicana

Sinto alguma simpatia por Dom Pedro II, não por ter sido rei e sim um intelectual.

Os americanos puseram os ingleses para correr, mas até hoje devem lamentar, porque a todo momento fazem filmes com plebeias que namoram príncipes.

Eu não entendo muito bem essa idolatria do mundo inteiro pela Princesa Diana. Fofíssima, lindinha e que comeu o pão que o diabo amassou com o marido e sua família. Senti pena quando ela morreu, quem não sentiria?

Fiquei sensibilizada com o sofrimento do povo inglês por ter perdido essa “ídala”, mas parece que essa ferida nunca vai cicatrizar.

Acho meio exagerado, mas enfim, todos nós temos ídolos.

Essa família real britânica supera todos os grandes escritores clássicos de todos os tempos.

Foto: Google Imagens – GZH clickRBS

É um romance secular com direito a assassinatos, traições, inveja, sexo e até mesmo a suspeita de que Jack, o estripador era filho da Rainha Vitória.

Que gente estranha.

Acho que a única certinha dos últimos tempos é a atual rainha.

No entanto, a pobre rainha nunca poderia imaginar que seus netos, antes unidos por força da morte da mãe, fossem virar inimigos por causa de uma plebeia americana que, na falta do que fazer, resolveu fazer draminha em um programa de televisão.

Roupa suja se lava em casa e já sabia muito bem onde ela iria se meter ao casar com um príncipe daquela família complicada.

A outra nora tem uma cara meio antipática, mas tem postura de rainha e sabe se comportar como tal.

Espero que os escândalos acabem no reinado do Príncipe William, mas aí as fofocas acabarão e o povo inglês vai sentir falta de falar mal da vida alheia.

Ô país estranho, rs.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.