29 de maio de 2024
Veículos

Jetta Highline 2.0 TSi tem no desempenho sua maior qualidade

Teste drive do VW Jetta Highline 2.0 TSi com Henrique Koifman
sam_3570
12466231_925782477477000_4277217958253343057_oDurante 20 dias e cerca de 750 km tive oportunidade de dirigir esse sedã branquinho aí das fotos por caminhos os mais variados. De ruazinhas em uma pequena cidade do interior às vias expressas cariocas, passando por rodovias em retas, serras, trânsito livre e engarrafamentos; andando sozinho ou com a família a bordo. Um test drive bem variado (e caprichado), que você pode conferir, nos mínimos detalhes, nos três blocos de vídeo dos links abaixo.

Competindo num dos segmentos mais disputados – se não for “O” mais concorrido – do mercado automobilístico nacional, hoje, o VW Jetta Highline 2.0 TSi é a versão mais cara do sedã médio da marca – que tem opções mais simples e mais em conta com motor 1.4 TSi de 150 cv. E, com seu estilo funcional e discreto, parece talhado especialmente para um público que é, em sua maioria, conservador em termos de estética e extremamente exigente no que diz respeito à qualidade e recursos. Mas não se deixe enganar pelas aparências. Definir esse Jetta como “comportado” e, depois, pisar fundo em seu acelerador pode levar a uma das mais rápidas mudanças de opinião de sua vida. Afinal, esse o capô germanicamente geométrico está guardado um motor de quatro cilindros, dois litros e 211 cv de potência, que adora mostrar suas virtudes.

Como destacamos nos vídeos, a despeito de sua pinta de executivo certinho, o Highline tem alma com pendores esportivos. Não que seja – e não é mesmo – um carro de corrida. Mas, entre dar prioridade à racionalidade da eficiência energética, do conforto total, da grande interferência eletrônica na direção em nome da segurança e de recursos lindinhos e fofinhos para o entretenimento de motorista e passageiros; ou caprichar no desempenho e no prazer de dirigir, o pessoal da VW não parece ter perdido muito tempo pensando e cravou logo a segunda opção.
Não que o carro seja duro demais, apertado, xucro em qualquer manobra ou exija grande habilidade para condução. No geral, ele tem argumentos racionais suficientes para brigar com (e lá vem a lista…) concorrentes como Toyota Corolla, Honda Civic, Nissan Sentra, Ford Focus Sedan, Citroën C4 Lounge, Peugeot 408, Renault Fluence e outros tantos (me perdoem, mas não pretendo fazer disso um verbete nem um catálogo), em razoável paridade. Perde, é claro, aqui ou ali em preço, espaço, itens de conforto de série e, provavelmente, em consumo. Mas ganha – pelo menos até onde eu pude comparar – em potência, que implica em desempenho que, por sua vez, implica no tal do prazer de dirigir.

Mais eu comento nos vídeos, que convido a todos para assistir. A seguir, vamos a um pequeno resumo opinativo e à ficha técnica resumida.
VW Jetta Highline 2.0 TSi 2016
Gostei
Desempenho
Espaço interno
Prazer de dirigir
Qualidade geral do acabamento
Não gostei
Consumo de combustível
Falta de câmera de ré de série
Dobradiças da tampa do porta-malas amassam bagagem
Painéis das portas em plástico rígido
Ficha Técnica
Motor
Quatro cilindros em linha, dianteiro transversal, a gasolina com injeção direta
Capacidade volumétrica: 1.984 cc (2.0 litros)
Potência: 211 cv
Torque: 28,6 kgfm
Velocidade Máxima: 243 km/h
Aceleração de 0-100 Km/h: 7.2 segundos
Transmissão
Câmbio automatizado DSG, com dupla embreagem e 6 velocidades, com opção manual.
Tração dianteira
Dimensões (milímetros)
Altura: 1.473
Largura: 1.778
Comprimento: 4.644
Entre-eixos: 2.651
Peso: 1.375 kg
Preço na concessionária (em dezembro de 2015, a partir de): R$ 95 mil
FONTE: REBIMBOCA ONLINE

bruno

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *