17 de abril de 2024
Tecnologia

Fortalecendo a sociedade contra golpes digitais: a urgência da educação digital nas escolas

Nos últimos anos, o debate acerca da disseminação de Fake News em várias plataformas de redes sociais, incluindo grandes veículos de mídia online, e sua utilização para golpes e esquemas fraudulentos têm sido frequentes. Segundo dados da InfoMoney, em 2022, a América Latina e o Caribe registraram cerca de 360 bilhões de tentativas de ataques cibernéticos, com o Brasil como o segundo país com mais registros, perdendo apenas para o México, totalizando 103,1 bilhões de tentativas.

Esses ataques variam desde fraudes por e-mail até o roubo de informações pessoais e financeiras, impactando indivíduos e empresas. (https://www.infomoney.com.br/negocios/brasil-aparece-em-2o-em-ranking-de-ataques-ciberneticos-como-se-proteger/?utm_source=whatsapp&utm_medium=social)

Relacionando esse cenário ao meu artigo anterior sobre Engenharia Social, reitero a importância da conscientização e educação para mitigar os riscos associados à engenharia social motivada pela ganância. É crucial educar sobre os diferentes golpes, armadilhas e táticas de manipulação usadas por indivíduos mal-intencionados.

Nesse contexto, proponho a inclusão da Educação Digital como componente curricular em todas as escolas do país. As facilidades do mundo digital estão presentes em nosso cotidiano, desde o uso das redes sociais para expressar opiniões até a administração de finanças pessoais e busca por informações profissionais.

Diante desse cenário diversificado, é urgente investir na educação digital para capacitar os estudantes desde cedo a utilizar a internet, redes sociais e aplicativos de forma responsável. Isso inclui a capacidade de verificar informações, discernir conteúdos falsos e não propagá-los, além de desenvolver o discernimento necessário para não serem enganados.

Essa abordagem educacional traria benefícios à sociedade, pois não apenas os estudantes seriam beneficiados com o conhecimento sobre o “mundo digital”, mas também poderiam disseminar o tema entre familiares.

Essa disseminação resultaria em mudanças de comportamento em relação ao uso das ferramentas e mídias digitais, assim como no combate às práticas criminosas online. A capacitação dos usuários para avaliar suas ações digitais com responsabilidade também resulta na identificação de engenharia social, phishing e outros golpes, reduzindo a quantidade de pessoas suscetíveis a essas armadilhas.

Uma sociedade melhor instruída, principalmente no ambiente digital, também auxiliaria as autoridades no combate ao cibercrime, já que a diminuição de ocorrências permite um foco mais preciso na investigação dos casos.

Portanto, é crucial para a sociedade moderna investir em educação digital, pois em um mundo cada vez mais conectado, a informação é a chave para combater as ilegalidades.

Bruno Cesar Oliveira

Bruno César Teixeira de Oliveira, com uma carreira sólida na gestão de riscos, compliance e prevenção a fraudes em instituições financeiras.

Bruno César Teixeira de Oliveira, com uma carreira sólida na gestão de riscos, compliance e prevenção a fraudes em instituições financeiras.

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *