25 de julho de 2024
Adriano de Aquino Colunistas

Pesadelo e morte no Ano Novo Lunar

Imagem: Arquivo Google – ScienceAlert

As classes mais favorecidas de Wuhan, metrópole no centro da China, com 11 milhões de habitantes, se preparavam para viajar e participar das comemorações do Ano Novo Lunar foram pegas de surpresa.
Ontem, (quinta-feira) foi promulgada uma quarentena.
A medida emergencial adotada pelas autoridades visa conter a rápida disseminação de um coronavírus mortal que já infectou mais de 500 pessoas. Milhões de pessoas deverão permanecer confinadas na cidade.
Em termos comparativos essa medida emergencial seria o equivalente a fechar o Rio de Janeiro à meia-noite – ninguém entra/ninguém sai – dois dias antes do sábado de carnaval.
A ação foi motivada por pressões internacionais a fim de conter um surto que já atingiu os Estados Unidos, Tailândia, Japão e Coreia do Sul.

Adriano de Aquino

Artista visual. Participou da exposição Opinião 65 MAM/RJ. Propostas 66 São Paulo, sala especial "Em Busca da Essência" Bienal de São Paulo e diversas exposições individuais no Brasil e no exterior. Foi diretor dos Museus da FUNARJ, Secretário de Estado de Cultura do Rio de Janeiro, diretor do Instituto Nacional de Artes Plásticas /FUNARTE e outras atividades de gestão pública em política cultural.

Artista visual. Participou da exposição Opinião 65 MAM/RJ. Propostas 66 São Paulo, sala especial "Em Busca da Essência" Bienal de São Paulo e diversas exposições individuais no Brasil e no exterior. Foi diretor dos Museus da FUNARJ, Secretário de Estado de Cultura do Rio de Janeiro, diretor do Instituto Nacional de Artes Plásticas /FUNARTE e outras atividades de gestão pública em política cultural.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *