Pinot Grigio e Pinot Gris

Num recente encontro do Camarão Magro, ativa confraria comandada pelo nosso eterno comparsa José Paulo Gils, a estrela foi um Pinot Grigio da região do Veneto, servido na abertura dos trabalhos.
Ao se referir a este vinho, ele usou “Pinot Gris”, versão francesa da mesma uva. Grigio ou Gris significam a mesma coisa: cinza.
Afinal, quais as diferenças entre uma e outra?
As duas castas são mutações da Pinot Noir, clássica uva da Borgonha. Existe, ainda, uma Pinot Blanc ou Bianca, que seria o clone mais longínquo. A coloração das cascas é a responsável pelas denominações:

Optimized-p1

A partir da esquerda temos a Noir, Gris e Blanc.
Estas mutações são normais e muito comuns no reino vegetal. As diversas colorações de flores, como as rosas, são um bom exemplo. Do ponto de vista científico, o que diferencia cada uma destas variedades é a quantidade de antocianinas presentes.
Características mais marcantes vão ser notadas nos vinhos elaborados na Alsácia (Pinot Gris) e na região do Vêneto (Pinot Grigio). Esta casta é uma das que melhor reflete o terroir, preferindo climas mais frios e encostas suaves. Por estas razões se adaptou tão bem nestas regiões mencionadas.
O vinho francês tem um valor de mercado maior que o italiano. É leve e fresco com notas cítricas, herbáceas e de mel.
O italiano é um vinho muito suave e muitas vezes mal compreendido. Mas é muito refrescante com aromas de peras, maçã verde, acidez equilibrada e paladar levemente salgado.
Estas diferenças se devem não só às características de solo e clima como nos processos de vinificação. Na Alsácia buscam vinhos mais encorpados, de produção limitada, quase sempre passando um curto tempo por madeira, enquanto na Itália fazem um vinho de larga produção para conseguir um custo mais baixo, o que não significa que não existam os Grigio de ponta, inclusive madeirados e preços bem mais altos.
Quando colhida mais tarde, são transformadas em excelentes vinhos de sobremesa.
Uma degustação comparativa destes dois vinhos é uma das melhores formas de se aprender sobre os diferentes terroirs e processos de vinificação.
Para não deixar nenhuma ponta solta, a Pinot Blanc trilha um caminho diferente. Muito empregada em cortes de vinhos brancos, principalmente com a Chardonnay, aparece com frequência na elaboração do Champanhe e de outros espumantes como o Franciacorta e o Crémant d’Alsace. Quando vinificada sozinha, produz um vinho com notas defumadas e levemente amaras. É o vinho do dia a dia na Alsácia.
A família das Pinot se espalhou por todos principais países produtores de vinho. Mas a fama dos vinhos elaborados na Alsácia e Alto Ádige ainda não foi superada.
Saúde e bons vinhos!
Vinho da Semana: para começar a degustação comparativa.
p-2-compressorAnterra Pinot Grigio – $
Bouquet delicado e frutado. Sabor elegante, com equilíbrio refinado entre doçura e acidez. Muito gastronômico. Harmoniza com: Camarão, Caranguejo, Carne de porco com ervas, Espaguete ao creme, Peixe empanado e frito, Carne de vitela, Massas ao alho e óleo, pesto e al burro, Peixe de carne branca e fina, Massas à Carbonara, Matriciana e Putanesca.
Compre aqui: http://www.vinhosite.com.br/vinho-pinot-grigio-italiano-anterra-branco/p
Ofertas da Semana: http://www.vinhosite.com.br/vinhos-da-semana
legenda
 
 
 

vinhoclube-o_boletim-novo

Notícias Relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *