22 de julho de 2024
Carlos Eduardo Leão Colunistas

Jornal Nacional, Lula e Deus

A entrevista de Lula ao JN está entre o acinte, o escárnio e o deboche. Ou todos?

Senhor, acabei de assistir a entrevista de Lula ao JN. Pelo YouTube, claro! Agradeço muito a Ti por não ter sofrido uma crise hipertensiva, um infarto, um AVC, enfim, por estar vivo após aqueles 40 minutos de excrescência moral.

O que levou aquele casal mudar tanto em relação à entrevista com o PR, Senhor? Como estavam simpáticos, descontraídos, livres, leves, soltos. As caras e bocas eram outras. Não notei sarcasmo, não havia ódio nos semblantes, muito menos ironia ou deboche nas perguntas. O que faz o interesse, o jogo das barganhas e o execrável “toma-lá-dá-cá”, né Mestre?

E quando o Bonner concluiu e determinou que o entrevistado, por falta de provas, não devia mais nada à Justiça? Perdoe-me pelo ódio em mim aflorado naquele momento. Mas sou humano e tenho falhas. O Senhor notou que logo na primeira pergunta o entrevistado, sem nenhuma cerimônia, leu a resposta? Ele tava muito soltinho pro burro que é e dissimulado como nunca. Será que posso concluir que o roteiro lhe foi passado previamente ou é uma insinuação leviana de minha parte?

Por que tanta mentira, tanta desfaçatez, tanto poder de enganar, ó Deus? Por que tanta canalhice, tanto escárnio com nosso povo tão sofrido e aviltado em suas convicções pátrias? Como um ex-presidiário condenado em três instâncias, por mais de uma dezena de juízes ocupa um lugar na corrida presidencial de uma nação tão abençoada por Ti, Pai? Como pode ainda se dirigir à nação como se nada devesse, nada tivesse acontecido?

Ele disse com todas as letras, Senhor, que poderia estar colhendo os louros de ter sido o melhor presidente da história mas que tem a missão de, junto com o extraordinário Alckmin, voltar ao Planalto para fazer muito melhor do que fez. Perdoe-me por aquele “puta que pariu” dito pausadamente e em voz alta. Saiu sem querer. Sem querer? Porra nenhuma! Falei e pronto! Esqueci-me de Sua onisciência. Mas não havia outra alternativa de expressão. Perdoe-me, por favor!

“Deus, ó Deus, onde estás que não me respondes? Em que mundo, em qu’estrela tu t’escondes, embuçado nos céus? Desde o início dessa oração, estou te mandando meu grito que, embalde, corre o infinito… Onde estás, Senhor Deus?” Preciso de uma resposta! Essa entrevista não afeta apenas a mim, mas uma nação inteira. Por favor, Senhor, responda!

“Meu filho, demorei a responder porque estou tentando me recuperar dessa entrevista. Estou caminhando pelas veredas engalanadas dos Céus à procura de respostas. Até Eu estou duvidando do que são capazes determinados humanos. E veja você que eles são também meus filhos e Eu continuo os amando!

Bonner e Renata pecaram pelos sentimentos rasteiros, pela escancarada parcialidade e pela incapacidade de discernir entre o bem e o mal, o certo e o errado, a honra e a desonra. A situação deles será muito desconfortável no Juízo Final!

Lula é a personificação do mal que parece subestimar nosso acerto de contas. Pra ser bem moderninho ele é o típico trans-honesto, ou seja, é ladrão mas se identifica como honesto. É um enganador que já foi julgado pelo povo e o será de novo, desta vez oficialmente, em outubro próximo.

Quanto à você, está perdoado! O “puta que pariu” deixou de ser pecado e passou a ser um refrigério pra alma. Em determinadas situações ele lhe recoloca no eixo, reorganiza seus neurônios, revigora sua alta estima e lhe devolve as rédeas da vida.

Esteja bem, Cadu! Brasil acima de tudo. Eu acima de todos!”

Carlos Eduardo Leão

Cirurgião Plástico em BH e Cronista do Blog do Leão

Cirurgião Plástico em BH e Cronista do Blog do Leão

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *