Minha homenagem a uma menina morta


Tequinha, você talvez nem se lembra mais de mim. Sou a Yvonne, irmã do Guy que morava no apartamento 303 e você e os seus irmãos Paulinho e Rosângela no 301.
A gente se amava e também disputava sempre sobre qualquer coisa. Aí você pode se perguntar de que passado eu lembrei de você.
Querida amiga de infância, tenho recordado de você quase todos os dias. O motivo? Vou esclarecer abaixo uma das razões.
Morreu uma menina baleada por um PM. Nem estou pensando em política, direita, esquerda, centro, coxinha, de lado, de bruços, APENAS MORREU UMA MENINA DE OITO ANOS e o que me choca é ler alguns comentários de pessoas do bem que tentam justificar essa morte ao lembrar de PMs que morreram no exercício de suas funções…
Uma morte é lamentável e nunca justifica outra. O policial militar também é gente, com família e principalmente filhos.
E por qual motivo me lembrei de você? Porque a gente não se cansava em tentar derrubar a outra com argumentos. Se eu dizia azul, você dizia amarelo. Nunca pensamos na possibilidade de ver o verde que é a mistura do azul com o amarelo.
Sinto saudades de nossas brigas ridículas, agora elas são sérias. É irmão querendo comer irmão, mas um dia o país do futuro vai chegar para nós.
Beijos querida e, caso a Dona Conceição e o Seu Paulo ainda estejam vivos, beije eles também.

Notícias Relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *