Grita Gita na gruta, Greta!

DSC04337-compressor
Esta crise econômica é bizarra, pitoresca. Fico besta de ver a quantidade de carros nas ruas. Crise e desemprego. O dinheiro sumiu. Então, pra onde estão indo estes romanos loucos?  Ficam rodando, procurando gasolina mais barata na cidade?
Estes zumbis parecem aquele ônibus cheio de passageiros que não para nos pontos. As pessoas dão sinal, mas o motorista não para. E quem quer descer fica lá, com a cara grudada nos vidros, pedindo ajuda, mas ninguém faz nada. Se eu tivesse respostas – para estas perguntas fundamentais para o sucesso do Plano Real – escreveria sobre isso. Santo mistério, Batman!
É porque não quero escrever sobre política, Lava Jato… Estou cansado deste Brasil cronicamente inviável.
Já falei sobre a Copa América. E a Eurocopa que continua hoje. Restaram País de Gales X Portugal; Alemanha X França. Vou torcer pra… França, Alemanha, Portugal e País de Gales. Tipo o ônibus que não para, só vai ter empate. Aí a copa nunca vai acabar e minhas tardes continuarão interessantes.
Às vezes você me pergunta por que é que eu sou tão calado. Por que você me pergunta? Perguntas não vão lhe mostrar que eu sou feito da terra, do fogo, da água e do ar…
Grande Raul!
Tudo isso culpa do amigo Geraldo “Gerô” Melo. Ele me mandou e-mail, avisando sobre a entrevista com Leandro Karnal, no Roda Viva da TV Cultura, segunda-feira. Pra quem não gosta do carnal Karnal, Gerô comemora a falta de tornozeleiras eletrônicas no país, por excesso de prisões de ladrões de casaca.
Mas interessante mesmo era o PS do Gerô: “Domingo à noite, assisti a uma parte de, parece ser, um bom documentário na BBC, canal 202 em BH, sobre como nós humanos fomos formados pela geografia, clima, solo, etc.”. E ainda deu o horário da reprise: segunda, 15h30.
Corri pra casa e teclei direto no canal 590, onde mora minha BBC, que agora é BBC Earth!
Agora entendi o Brexit. Quem tem uma BBC não precisa do resto do mundo. Quer dizer, precisa do mundo só pra filmar, por exemplo, esta série, “How Earth Made Us”, em bom grego e aramaico: “Como a Terra Nos Fez”.
Fiz quilos de anotações fundamentais para o sucesso do Plano Real, mas não terei espaço para elas.
Caro Gerô, no caso, o buraco é, literalmente, mais embaixo. Geografia, clima, solo, etc. são para os fracos. O tema são os quatro elementos que formam Raul Seixas: fogo, terra, água, ar e um pouco de solo, clima, geografia, que ninguém é de ferro.
São quatro capítulos, assisti aos dois exibidos.
O primeiro abordou a terra, o segundo o ar na forma de vento. Não, Dilma não foi entrevistada para ensinar como estocar vento. Nada de mandioca ou golpe também!
Eu achava que o programa ia mais para o lado de Determinismo, tipo: o calor produz vagabundos e preguiça? O frio incentiva o trabalho que gera sucesso e riqueza? Mas não usaram e ousaram esta polêmica. Vou continuar curioso.
Mas, mesmo se vendendo como uma abordagem inédita, a série “How Earth Made Us”, mostrou, com estupendas imagens e ótimo apresentador, o professor Iain Stewart; como os quatro elementos moldaram os seres humanos, a sociedade, a economia, a história.
Óbvio e pouco inédito? Nem tanto. O negócio, o segredo, está nas rachas… Nas gretas… Nas fendas… Nas famosas falhas geológicas que existem para o bem e o péssimo. Por exemplo, não fossem as falhas, o homem não teria descoberto os metais que escapavam das grutas, cavernas e profundezas incandescentes da terra substituindo a madeira, pedra e até os ossos usados pelos nossos ancestrais.
My God and My Dog! Já escrevi tudo isso e ainda estou na primeira página das anotações.
Vou parar as consultas. Vai só na memória.
“Resumindo Henrique Cardoso”, da terra temos os vulcões e terremotos. Como isso nos fez? Terremotos só fazem destruição, mas meus queridos vulcões são fontes de vida e de muita dinheiro, por isso, 10 entre as 20 maiores cidades do mundo estão próximas a vulcões. Tem a ver com terras férteis e… Petróleo. Precisa mais explicação?
Muito interessante, a história da civilização Minoica, grandes comerciantes que sumiram do mapa por causa da explosão do vulcão Santorini. Os minoicos faziam o elo entre as terras produtoras de estanho (Ilha do Estanho = Grã Bretanha) e cobre (Chipre) com o comércio do metal oriundo desta liga, o bronze… Sacam a Idade do Bronze?
O segundo capítulo rezava sobre o ar. Ventos alísios que impulsionaram os grandes navegadores como Cristóvão Colombo e outros descobridores de Américas e extremos orientes. Vento que criou os desertos  do Saara, Gobi e o Centro Vermelho na Austrália. Vento que gera furacões. Adoro furacões.
Por falar em deserto, quero ver os desertos gelados. Deserto não é sinônimo de quente, de calor, mas de onde cai pouca ou nenhuma chuva, como o Polo Norte e o Polo Sul.
Bom, como cantei a pedra, o texto ficou grande, mas ficaria enorme, com tudo que anotei. Quem sabe um dia volto aos temas! Inclusive sobre a racha, a falha, a greta ou gruta de Greta Garbo. E claro, o sucesso do Plano Real.
PS: Dizem que Nero botou fogo em Roma, mas acho que é mentira. Quanto à água, sem ela, não existiriam o whisky escocês, o gelo islandês, a água polonesa Perlage e meu banho mensal no Alasca. Pronto e ponto.

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *