Que Deus (ou Darwin) nos Acuda!

O que explica melhor a vida neste planeta? Criacionismo ou Darwinismo?

O Criacionismo defende que tudo que está aqui teve o dedo de uma força divina maior. De acordo com essa teoria a tartaruga, por exemplo, é só mais um ser criado por Deus, que também criou todos os outros seres que habitam a Terra, que aliás já era redonda e segue sendo redonda, certo olavos e olavetes?

Já o Darwinismo afirma que a tartaruga continua sendo uma tartaruga só que as que vivem em lugares secos desenvolvem pescoço mais longo porque precisam se alimentar dos arbustos, enquanto que as que dispõem da grama brotada de um solo mais úmido têm pescoço curto. Ou seja, a evolução das espécies ocorre de acordo com o ambiente em que vivem.

Analisando a espécie humana encontrada nos dias de hoje, fico cá pensando com meus botões em qual das teorias a gente se encaixa melhor.

Se Deus, em sua infinita bondade, como nos é apresentado, criou o homem à sua semelhança, porque tem tanta gente ruim neste mundo? Como não encontrei a resposta, passei para a segunda teoria. Se as espécies evoluíram, porque o homem não evoluiu em todos os sentidos? Achou que endireitar a coluna e sair andando que nem modelo em desfile de moda já era o suficiente?

E enquanto ficamos aqui conjeturando, tem gente que não perde tempo. Nesta semana o pastor Silvio Ribeiro da igreja Catedral Global do Espírito Santo, lá de Porto Alegre, foi acusado de charlatanismo porque distribuiu um panfleto para os fiéis com os dizeres: “O poder de Jesus contra o coronavírus: venha porque haverá unção com óleo consagrado no jejum para imunizar contra qualquer epidemia, vírus ou doença”!

E aí? Onde se encaixa esse sujeito? Na fé do Criacionismo ou na evolução (?) do Darwinismo?

Outra notícia que serve pra botar mais minhoca na nossa cabeça sobre o tema veio lá de Londres. No último dia 3, Jonathan Mok, um estudante de Cingapura de 23 anos, levou uma surra em plena Oxford Street – lá onde antigamente costumava ficar o primeiro mundo – só porque seu zoinho puxado foi associado à epidemia do momento: “Não queremos seu coronavírus no nosso país”.

De novo a pergunta: onde se encaixam esses animais?

Nesse mesmo dia, ouvimos a fala do prefeito Marcelo Crivella, sobre a catástrofe provocada pelas fortes chuvas no Rio de Janeiro: “Boa parte da culpa pela tragédia é dos moradores que escolhem morar em áreas de risco, para, assim, gastar menos tubos para colocar cocô e xixi”.

Tá valendo de novo a pergunta acima, só que no singular.

Mas enquanto as respostas não chegam seria mais saudável passar por cima dessas ignorâncias, procurar focar nas coisas boas da vida e mandar uma banana para todo o resto, não acham?

Péra! Parece que outros seres menos evoluídos já andaram fazendo isso ultimamente. Melhor não copiar.

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *