Dia D!

Meu dia D é sempre a quinta-feira, quando tenho de estar com um texto pronto a ser revisado, para que chegue limpinho ao site onde será publicado no dia seguinte.
Mas chega este dia D e um desânimo se abate sobre a escrevinhadora, no caso euzinha, porque os assuntos mais comentados da semana são, no mínimo, brochantes.
Dá uma enorme canseira ter de comentar, por exemplo, sobre a inércia desse governo em relação às medidas de combate à pandemia que já deveriam ter sido tomadas lá atrás e também sobre as cagadas que fazem quando resolvem se mexer.
A gente já está assistindo a esse filme que narra a lenga-lenga da compra de vacinas e de seringas faz tempo, mas daí ver um pateta que faz as vezes de ministro da Saúde “esclarecer” a população de que a vacina chega no dia D e na hora H estimula os premiados com um pouco de cérebro a também usarem letrinhas para responder ao parvo. No meu caso, e no caso da maioria dos internautas que tenho acompanhado, as letras escolhidas foram PQP e VTNC.
É falta de educação ou falta de respeito para com uma autoridade? Sim, claro que é!
Mas uma autoridade que parte do pressuposto de que seu povo come capim está tratando as pessoas com respeito? Não, claro que não!
As famílias dos mais de 200 mil mortos não estão se sentindo respeitadas com esse descaso. As famílias dos que ainda não perderam seus parentes, mas que vivem assustadas com a morte batendo diariamente às suas portas, também não estão se sentindo respeitadas.
Então, ministro, não se ofenda com esses conjuntos de letras que o senhor tem ouvido por aí desde que falou tamanha bobagem. Simplesmente assuma logo que o povo, cansado de sua inaptidão, tem razão. Dói menos.
E aproveite para tentar sair de vez da condição de capacho e tomar uma atitude digna de autoridade que é responsável por milhões de vidas humanas, mesmo que seu superior não se importe com elas.
Não fique repetindo como papagaio que existe tratamento precoce para Covid porque não existe. Ouça a Ciência no lugar de escutar um néscio. Já ficou mais do que provado que a ivermectina é ótima para matar piolhos e que prescrever cloroquina só vai ajudar a limpar o estoque dos laboratórios do Exército. Até as emas que habitam os jardins do Palácio da Alvorada sabem disso. Tanto que correm do louco que as persegue.
A outra saída para o senhor é a porta da rua. Ainda dá tempo de botar o rabinho entre as pernas e sair de fininho, antes que essa falta de respeito à sua pessoa se espalhe no seu próprio meio. Não deixe que seus colegas o vejam como um general da “passiva”.
Mostre um pouco de dignidade para que num dia D qualquer seu povo não o mande se F na hora H!
Queremos vacina, seja ela qual for, e queremos que algum membro desse governo explique (no caso, que desenhe) para o chefe como funciona uma vacina com 50,38% de eficácia para que ele pare de mostrar sua ignorância dando pulinhos de alegria ao saber que a “vachina do Dória” não alcançou eficácia maior.
Tudo isso, senhor ministro, são apenas conselhos de uma cidadã se borrando de medo de pegar o coronavírus porque vocês não providenciaram em tempo hábil o elemento básico para evitar que isso aconteça. Se não quiser usá-los enfie onde desejar. Sugiro que seja no C.

Notícias Relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *