Cartão Vermelho!


Numa semana de muitos chutes a gol, uns e outros se arriscaram em peladas fora da Copa, chutaram torto, e acabaram marcando gol contra!
O presidente cor de laranja ficou mal na fita com as imagens daquelas crianças engaioladas, separadas de seus parentes.
Até dona Melania, que parece ser uma pessoa paciente e de muito boa vontade para com o chiliquento marido, ficou pê da vida com o que viu.
Ela fez um apelo, lido por um um porta-voz, onde dizia: “precisamos ser um país que respeita a lei, mas também um país que governa com o coração”.
Isso foi um comunicado solene feito em público, claro! Em casa ela deve ter comido o toco do marido, porque três dias depois dessas imagens terem corrido o mundo, o presidente americano voltou atrás e liberou as mais de 2000 crianças engaioladas, para que elas pudessem ficar ao lado de suas famílias.
Trump recebeu um cartão vermelho em casa, e ainda sem saber bem o que vai fazer com os imigrantes ilegais, deve esperar passar o efeito suspensivo, pra só então decidir qual esquema tático vai adotar.
Ao contrário do que acontece lá, aqui os nossos homens da lei, não querem ver ninguém engaiolado.
Na última quarta-feira, a turma de segunda do STF trancou a portinhola da gaiola que seria ocupada por Gleisi Hoffmann e a de seu marido Paulo Bernardo, para que eles não entrassem. Por pura incompetência da Procuradoria Geral da República, que não conseguiu comprovar a implicação do casal em falcatruas, os nossos ministros entenderam que eles não lavaram dinheiro e que não são corruptos passivos. Mas para não deixar tudo em branco absoluto, Edson Fachin propôs a condenação da Senadora, por “falsidade ideiologica eleitoral”, apelido dado ao já manjado Caixa Dois!
Agora os dois estão livres para irem recepcionar o chefe lá em Curitiba, que pode sair da gaiola no próximo dia 26. (Por favor, me desmintam Ministros!).
Que papelão! Cartão vermelho pra vocês do STF, da PGR, e do escambau a quatro, que não conseguiram enxergar o pênalti, nem com a ajuda do árbitro de vídeo!
Tem um deputado russo que também está pedindo pra levar um cartão. Vitaly Milonov, da ala conservadora e, escancaradamente contra as causas LGBT, propôs criar uma lei que prevê multa de 10 mil rublos (R$ 590,54), para quem falar mal da seleção russa. Disse que o técnico e os jogadores são considerados “nossos diplomatas e nosso exército” durante a Copa.
No caso do deputado, o cartão seria apenas amarelo porque, afinal, ele não é tão radical assim e a falta não é tão grave. Milonov até permite piadas leves sobre o time. “O objetivo é combater conteúdo muito feio e sujo, além de fake news”.
Mas os que merecem cartão vermelho de fato, são aqueles imbecis brasileiros que acharam que estavam abafando na Rússia, com suas gracinhas de péssimo gosto.
O vídeo gravado por eles, humilhando mocinhas estrangeiras, caiu na boca do povo e agora nem os próprios estão mais achando graça nisso. As consequências do ato começaram a aparecer e alguns já foram punidos até com demissão do emprego.
Mas um castigo pra valer, seria eles ficarem presos por lá mesmo e terem de ficar repetindo na cadeia “e-u q-u-e-r-o d-a-r m-e-u r-o-s-k-o-f-f-p-r-a v-o-c-e!

Notícias Relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *