24 de maio de 2022
Vera Vaia

Ai, Ai, Ai, Ai…Tá Chegando a Hora!


Pensei em não falar de eleições essa semana porque esse assunto tá mais surrado do que roupa de espantalho, mas não achei nenhuma outra noticia na mídia, que pudesse fazer a gente se divertir um pouco.
Aliás, com essa história de eleição, nem sabemos mais a quantas anda o Brasil.
Brasília está fechada para balanço. Os parlamentares que possuem cadeira cativa na Câmara e no Senado, penduraram seus paletós e saíram às ruas em busca de votos, para que possam voltar no próximo ano, a depositar novamente seus bundões em suas confortáveis cadeiras e usufruir de todas as benesses que seus cargos lhes conferem. Trabalhando ou não!
Falando em Brasília, alguém aí tem ouvido falar do presidente Temer? Anda sumidaço!
Mas vamos voltar à vaca fria!
Semana passada eu disse no meu texto, que se ninguém me convencesse de que nesse imbróglio todo, eu estaria prestando um desserviço à nação com a anulação do meu voto no segundo turno, eu manteria minha hashtag “elesnaonemqueavacatussa”.
Essa semana tivemos fatos novos. Primeiro foi a declaração do bandido solto José Dirceu: “vamos tomar o poder, em caso de um golpe”. E isso é realmente assustador! Vade retro, Satanás!
Depois o juiz Sérgio Moro liberou a parte da delação premiada do Palocci, onde ele confirma que Lula era mesmo o chefão da quadrilha petista. (A gente já sabia, mas não em papel passado, timbrado, carimbado e registrado em cartório, como manda o figurino)
Pensei com meus botões: como se não bastassem os outros, esse são dois argumentos bem convincentes pra não permitir que o PT tome de novo o Brasil pra si, e que siga tomando pra si o que ainda resta dentro dele.
Então passo a analisar o outro lado.
Fico imaginando como será o governo do seu opositor se ele não consegue nem se entender com seus postos Ipiranga, ainda mesmo antes de assumirem.
Como será formado seu ministério se o que ele achou de melhor até agora, já andou metendo os pés pelas mãos, com declarações de criação de uma nova CPMF?
Com quem Bolsonaro vai se juntar? Seus filhos farão parte desses ministérios? (Se isso acontecer, que pelo menos, não seja no Itamaraty. Vai que o Eduardo Bolsonaro tenha de negociar com uma mulher da esquerda! Irá dizer que só negocia com as da direita porque são mais bonitas e mais higiênicas?).
A situação é complicada. Como encarar tudo isso e não carregar culpa?
Para não ser injusta, resolvi pesquisar. Consultei universitários, cartomantes, videntes, parentes, amigos, vizinhos e pessoas caridosas, na expectativa de chegar a um consenso, mas o leque de opiniões foi grande.
Então bati no liquidificador as declarações de voto útil, voto inútil, votos brancos, nulos, votos de 💙💙💙, votos de &@$#£&@&, e tomei minha decisão!
Decidi que vou torcer com todas as minhas forças, rezar, pedir pra pais de santo, filhos de santo, sobrinhos de santo, para que Jair Bolsonaro ganhe logo no primeiro turno, sem a ajuda do meu voto! Assim, o PT será varrido do mapa e eu vou poder sustentar minha hashtag, sem riscos de levar pedradas.
A segunda decisão é, na verdade, uma promessa: prometo que depois de passado um tempo, não vou falar pra ninguém o famoso “eu não avisei?”, caso esse governo não venha ser o esperado pelos adoradores de mitos.
E que Deus nos acuda!

author
Mãe de filha única, de quatro gatos e avó de uma lindeza. Professora de formação e jornalista de coração. Casada com jornalista, trabalhou em vários jornais de Jundiaí, cidade onde mora.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.