3 de julho de 2022
Colunistas Vera Vaia

Brrrrrrr!

Uma pitada de bom humor pra dissipar a chatice que rola neste mundo até que vai bem. Traz um pouco de calor para nossas almas já quase congeladas pelas bad news que nos chegam todos os dias.

Para anunciar a chegada de uma frente fria em Goiás, a Prefeitura de Goiânia resolver se divertir no Twitter e usou sua página para publicar um “decreto” que mudaria o nome da cidade – que já tem vários apelidos, como Capital do Cerrado, Capital Vale do Verde, Capital do Sertanejo – para Polo Norte do Cerrado.

Ao todo são seis artigos com várias recomendações, e um deles até sugere que o cidadão faça seu pedido de pamonha – iguaria apreciadíssima em Goiânia – pela manhã para que não fique sem. Um dos mais engraçados é o artigo segundo que torna o banho matinal facultativo. (Já tem adeptos da filosofia Casconiana, entendendo que a recomendação vale para o dia todo).

Mas o parágrafo único não tem uma recomendação. Tem uma proibição: “é expressamente proibido encostar a mão fria ou gelada em alguém”.

E assim, enquanto alguns se divertem com o frio, outros sofrem suas consequências.

A “frente fria” que está atingindo o pré-candidato João Doria parece ser das mais congelantes. Além de ter de enfrentar a rejeição popular apontada nas pesquisas, tem de encarar a rejeição de seu próprio partido que não mede esforços para puxar seu tapete.

Os caciques do PSDB convidaram Dória para participar de uma reunião em Brasília nesta última quarta-feira (ele não foi) pra jogarem diretamente na cara dele que sua insistência como candidato à presidência da República está atrapalhando campanhas regionais do partido. No meu parco entendimento político, não seria de se esperar que o partido tentasse reverter a rejeição em vez de se juntar ao MDB e lutar pela candidatura de Simone Tebet?

Me desculpem camarottis, gabeiras, natuzas, mervais pelos meus pitacos de leiga, mas como a chance de vocês me lerem é muito pequena, vou dá-los assim mesmo.
Acho que esse esforço todo das velhas raposas (na minha cidade são chamadas de putas véias) como Aécio Neves, Tasso Jereissati, o presidente nacional do PSDB Bruno Araújo – só pra mencionar os mais manjados – em insistir na candidatura de Simone Tebet mostra que aí tem. Na minha opinião a senadora vai ser devorada viva pelos leões e será chupada (no mau sentido) como uma laranja e ter seu bagaço jogado numa composteira. Se querem tanto a Tebet, por que não a colocam como vice de Doria, que ganhou as prévias? A chapa poderia se chamar JoSi, DoTe ou coisa assim.

Mas lançar a própria como candidata pode ser uma fria. Eu não entraria nessa, se fosse a senadora.

Mais um que sentiu o frio em sua alma esta semana foi o deputado estadual Arthur do Val, vulgo Mamãe Falei, que teve seu mandato cassado pela Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp). Por unanimidade (vai ter prestígio assim lá na Rússia), perdeu todos os seus direitos políticos, teoricamente por ter feito declarações machistas e sexistas sobre as mulheres ucranianas, mas na verdade foi por ser um chato de galocha que não conseguiu fazer sequer um aliado na assembleia.

Agora já com o pseudônimo de Mamãe me Ferrei, conseguiu um empreguinho como coordenador de campanha de Renato Battista, do Movimento Brasil Livre (MBL).
Sentiu a gelada em que entrou, malandro?

E como as temperaturas, ao que parece, não vão subir tão cedo, vamos nos virando com o que temos à mão. E o que eu tenho é um Cabernet Sauvignon. Saúde!

author
Mãe de filha única, de quatro gatos e avó de uma lindeza. Professora de formação e jornalista de coração. Casada com jornalista, trabalhou em vários jornais de Jundiaí, cidade onde mora.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.