Black Friday

Ouvi e li várias vezes a respeito do aumento nas vendas de eletrodomésticos durante a pandemia e que, nesta Black Friday macaqueada dos americanos – como costumavam ser todos os hábitos de lá, considerados perfeitos para cá – esperava-se um aumento nas vendas.

Minhas compras por Internet nunca foram o que eu chamaria de “coroadas de êxito” – bem ao contrário – mas, diferentemente da maioria, eu estava esperando a “euforia” arrefecer para tentar a compra de um robô aspirador: você solta pela casa e esquece do assunto, desde que não haja degrau ou desnível, é claro! Para degraus existe um modelo que  tem sensor e ele não cai – claro que, mais maravilhas ele faça, mais caro vai ficando, até chegar a uma cifra em que você vai ficar se perguntando se não foi um despautério ter comprado…

E isso vai, certamente, depender de opinião, exatamente onde eu estava tentando chegar, dado que, antes mesmo da pandemia, de tanto ouvir uma amiga muito querida, cuja casa é um “brinco” – dos tempos em que a gente dizia que a coisa era “daqui, ó!” segurando o lóbulo da orelha – eu passei a sonhar com um… tanquinho!!

Para quem não sabe, ou nunca teve um, ele serve para lavar coisas extremamente sujas, engorduradas ou manchadas: você coloca os panos de molho com sabão, ele agita para um lado, para o outro, até que a sujeira desgruda, você troca a água e, magicamente, os panos estão limpos!!

Eu, que simplesmente MORRO DE NOJO de lavar panos de prato ou panos de chão – cada um de nós tem alguma idiossincrasia por algum trabalho de casa e essa é a minha, digamos assim, mais grave – fiquei sonhando acordada com um tanquinho!

Eis que, um belo dia, entrando uma graninha da qual eu podia dispor, fui à luta: vou comprar o meu tanquinho e nunca mais vou ter duas pilhas de panos à espera de eu juntar coragem para coloca-los de molho e lavar na minha mais que preciosa máquina de lavar!

Depois de uma longa espera – a loja que tinha a marca, não tinha o tamanho, a que tinha o tamanho não tinha para “pronta entrega” – eufemismo para uma espera de dois meses no mínimo – eis que meu “eletrodoméstico dos sonhos” chega!

Noto que de “inho” não tem nada, grande, do tamanho de uma máquina de lavar e tem o fio muito curto, o que me obriga a fazer uma extensão que passe por cima das torneiras do tanque de lavar roupas, mas tudo bem, e as maravilhas que ele vai fazer?!

Pronto! Extensão feita, descubro que sua mangueira para enchê-lo também é curta, e tenho que aproximá-lo muito do tanque de roupas para acoplá-lo: não fica muito confortável, mas acaba dando certo. Encho de panos de chão, de pó, ponho água até cobri-los e pronto para funcionar!

Surpresa número um: as roupas “nadam” de um lado para o outro e uma hora depois, continuam com a mesma cara suja que tinham antes e a água imunda. Quer água limpa?

Surpresa número dois: a mangueira para escoar a água TAMBÉM é muito curta e não chega até o ralo, o que me obriga a colocar um balde que logo fica cheio, e mais outro, e um terceiro e… acabam os baldes e a lavanderia fica inundada de água suja!

Surpresa número três e a PIOR DE TODAS: o magnífico tanquinho não espreme os panos ainda imundos e, se você vai trocar a água e quer fazê-lo, MÃOS À OBRA, esprema você!

Furibunda da minha existência, chafurdando na água imunda, tenho que trocar a água do famigerado tanquinho para que ele ponha os panos para “nadar romanticamente”…

Finalmente, sem entender bem a TREMENDA utilidade desse famigerado “eletrodoméstico” e já duvidando da “amiga da onça”, coloco minha intrépida e maravilhosa máquina de lavar a postos e tudo lavado, limpo e espremido num piscar de olhos…

“Vendo tanquinho para 8kg de roupas EM ESTADO DE NOVO, usado apenas duas vezes”.

Que surpresas me reservará o robô aspirador?

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *