O ano que termina

Esse ano que hoje termina, foi um dos piores da minha vida. Perdi minha irmã e parte de mim foi com ela. Mas tive que metabolizar a dor e seguir adiante. Do meu modo. Em casa. Quieta. E tendo muita fé em Deus e na força que as orações me passaram.
Resolvi passar o Natal no sítio de meus primos em Campos do Jordão. Bem longe das festas.
Lá encontrei paz, amizade e carinho por parte de todos. Choveu muito.
Voltei com dor de garganta e não deu outra: laringite aguda. Sem voz.
Acordei afônica e fiquei assustada. Como ficar sem falar???
Aprendi mais essa lição. Ficar em silêncio e relaxar. Coisa difícil para mim.
Duas idas no Hospital no PS e muita medicação. Anti-inflamatório e inalação. Tosse… me deram xarope.
Enfim hoje estou um pouco melhor. Já fui no supermercado e fiz uma canja de galinha que não faz mal a ninguém, com as ervas plantadas no meu piccolo pátio na minha casinha centenária.


Minha canja ficou ótima com o salsão, cebolinha verde e salsinha da horta no vaso. O suco com a hortelã do vaso ficou ótimo. E o molho de tomate com o manjericão fresco tinha gosto da Itália. Sálvia frita na manteiga deixa tudo mais gostoso.

E olhando os vasos resolvi fotografar e mandar flores para vocês.


Em especial a orquídea que ganhei há exato um ano não para de florir.

E flores nos pratos que fui comprando ao longo dos anos em viagens ou feirinhas e que coloquei nas paredes externas. Plantem também.
É uma delícia colher as delícias que tornam os pratos mais saborosos. Ah, e a romã está dando frutas.
Feliz Ano Novo amigos queridos e dessa vez mandei meus votos pelo Whatsapp porque ainda estou me recuperando e bem rouca. E com tosse cauff..cauff.
Também resolvi ficar em casa. Ia viajar encontrar a família que me chamou mas melhor ficar. Afinal hoje é só o último dia do ano!
Feliz Tudo para vocês com todo meu carinho! Namaste! Shalom! Peace! Love! Life!

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *