1 de julho de 2022
Priscila Chapaval

1 de Maio é o dia da Milly!

Oi gente querida!
Hoje 1o de maio me vem à lembrança uma amiga francesa que eu adorava chamada Emilienne Coutant ou somente Milly ou tia Milly para os mais chegados.
Conheci Milly em Ubatuba na casa da Vera Paiva de Abreu Sodré. Vera morava numa costeira perto do Farol da Ponta Grossa.

Gostei da francesa logo de cara. Elegante, comme il faut, sendo francesa. Trabalhava na Dior e quando se casou veio para o Brasil e ao longo da vida foi morar em Ubatuba.
Tinha livrarias e banca de revistas. Milly era a mais velha da turma e nas nossas caminhadas até o farol para ver o por do sol, ela era a mais ágil e chegava sempre na frente.
Cozinhava divinamente. Pelo menos uma ou duas vezes por ano recebia seus amigos para jantar em seu apto em São Paulo em Higienópolis.
Alugava mesas e formava os grupos. Ela mesma cozinhava, servia e depois limpava tudo. E ai de quem se levantasse para ajudar. Levava bronca. No final do jantar sempre brindávamos com uma Veuve Clucquot ou algo no gênero. Festa de Babette!
Um dia Milly resolveu voltar para Paris. Arrumou um emprego através dos seus amigos PDGs. Foi trabalhar em Perigord mas fim de semana em Paris.
Bem.. hoje conto parte da história dessa criatura maravilhosa.
Mas o motivo da minha empolgação em relatar histórias de vida com ela se deve ao dia de hoje.
Todo dia 1o de maio, infalivelmente, Milly mandava para minha casa uma carta linda de amizade e dentro um raminho de muguet que tenho guardado até hoje.
Voilà Milly! Como não se lembrar se você?
Depois conto o resto da história!

Jornalista... amo publicar colunas sobre meu dia a dia...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.