Um feliz dia das mães

Queridos leitores, felizmente não tenho o que falar mal da minha mãe. Mulher íntegra, até demais, nunca mentiu na vida, nem para ajudar os próprios filhos. Até hoje lembro das suas lições de vida:
“Besta é quem não gosta de você!”
“Você está chorando hoje quando acha que agiu certo. Se estava errada, sofre agora e depois fica bem. Você não sofre muito tempo pelo mesmo problema!”
“Pode pular do alto do Himalaia, você é uma pessoa de sorte e nada vai acontecer!” – Exagero meu, óbvio, mas ela sempre estava certa.
“Não pule da cama para o chão, você vai se dar muito mal!” – E me dava.
Fora estes conselhos, todos os demais foram de quem ama e quer o bem dos filhos. O que mais sinto falta é de conversar com ela, fazer um monte de desabafos, chorar, rir, ameaçar suicídio e ela só olhar para a minha cara e falar poucas palavras. Nunca fomos amiguinhas, nunca a chamei de você, sempre “senhora”, aliás, não me lembro de alguém mais novo do que ela chamá-la de você, mas ela foi a minha melhor amiga.
Mãe, quando eu me for para o outro mundo quero uma recepção em grande estilo. Pode chamar os parentes e amigos que estão ao seu lado, porque vai ter papo até não poder mais.
Um beijo para a senhora e espero revê-la daqui a um bom tempo.
Mamae-de-maio
Um lindo final de semana para todos e até o próximo Boletim.

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *