9 de agosto de 2022
Colunistas Yvonne Dimanche

“Sair do armário”

Amigos, de uns tempos para cá existe uma certa obsessão para saber qual a pessoa famosa (no bom sentido desse adjetivo e não do atual) está dentro do armário e não assume.

Quem foi que disse que alguém tem de levar ao conhecimento do mundo o que gosta e o que não gosta no sexo?

Gays são seres humanos que têm profissão, habilidades, família, desejo de ter filhos e tudo mais que qualquer heterossexual quer.

Suponhamos que Einstein e Mozart fossem homossexuais enrustidos. Isso iria macular a importância deles na história da Humanidade?

Sair do armário, pensa que isso é importante, mas tem gente que quer ficar guardadinho lá dentro e levar a sua vida do jeito que lhe agradar.

É a modinha do século. Mesmo se não for, vira, só pra ficar famoso. É verdade, já percebi isto também.

Por mim pode entrar sair, sair e entrar, cada um sabe de si a vida é muito curta pra se apegar a detalhes! Entrem e saiam a hora que quiserem.

Concordo plenamente… mas tal prática é “natural” na nossa sociedade machista e patriarcal. Querem saber, primeiro, para tratar com escárnio e diminuir seu prestígio, depois, de forma hipócrita, pra dizer que cada um tem a vida que quer… mas sempre lembrando que aquele indivíduo é “fanta”… e assim segue o baile.

Disse o poeta que “cada um sabe a dor e a delícia de ser o que é”; que assim seja, então… Desde que ser gay não passe a ser obrigatório, pra mim, tudo bem.

Coisa de gentinha besta que não tem o que fazer, senão se preocupar com a vida dos outros. Mas não é uma preocupação para ajudar, só pra ter o que comentar, mesmo. Desde que não nos faltem com respeito, as pessoas podem fazer o que bem entenderem de duas vidas

As pessoas sempre, em qualquer época, se preocupam com a sexualidade alheia. O sexo mexe com a cabeça das pessoas. É muito difícil resolver essa equação.

É impressionante como tem gente que usa a sexualidade como se fosse um titulo de interesse publico. Eu vi a apresentação de uma pessoa que começava assim: negra, lésbica e de esquerda, como se fossem títulos! A única coisa que importava era ser de esquerda, no caso! Eu acho que só interessa o que você gosta na cama a quem irá ou iria deitar nela. Fora disso, não vejo interesse nenhum nesse assunto..

O armário já foi um bom refúgio.

Alan Turing, um dos pais da Ciência da Computação, era gay, devidamente enrustido como exigia a hipocrisia britânica de então.

Apesar da sua importante contribuição para quebrar os códigos alemães durante a II Guerra, foi processado na década de 50 por causa da homossexualidade, que era ilegal no Reino Unido. Para não ser preso aceitou o tratamento com hormônios femininos e castração química.

Morreu em 1954, alguns dias antes completar 42 anos. Envenenou-se com cianeto.

Apanhado de meu post no Facebook e de alguns comentários de amigos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.