26 de maio de 2022
Yvonne Dimanche

Quais boletos devemos guardar?


Amigos, triste é o cidadão que não confia no governo do seu país. Nesta semana arrumei os boletos de 2017 e 2018. Não do jeito que o maridão fazia. Alguns deles joguei no lixo e o que restou joguei todos em uma pasta para cada ano. Se acontecer algum problema é só procurar.
As únicas exceções que nunca jogamos fora são os impostos. Eu não confio em governo algum de qualquer partido. Meu irmão já foi cobrado pelo não pagamento do IPTU do ano que Dom João VI deixou o país.
Se a gente não pagar o cartão de crédito, não vamos comprar mais nada, nossos nomes vão parar no SPC/SERASA e nossa vida vira um inferno.
Já os impostos municipais, estaduais ou federais são parecidos com essas doenças silenciosas como a diabetes, por exemplo, que, quando tomamos conhecimento, já estamos quase tendo que amputar uma parte do corpo. Por isso, eu guardo tudo, até mesmo o I.R. do ano em que Moisés recebeu os dez mandamentos, rsrsrs. Como eu sou exagerada, rsrsrs.
Vocês também são assim ou já passaram por uma situação constrangedora do tipo a do meu irmão?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.