24 de maio de 2022
Yvonne Dimanche

Poliana, eu?


Amigos, os últimos dias não foram bons por problemas pessoais e como cidadã brasileira. Por esse motivo, fiz a criancice de postar um monte de fotos minhas, sem mais nem menos. Tudo bem, todo mundo faz isso. Eu raramente posto fotos minhas e de familiares.
Hoje mais calma, pensei comigo mesma o motivo dessas fotos e cheguei à conclusão de que foi saudade de tempos melhores.
Algumas pessoas me acham saudosista, porque adoro fotos e fatos antigos. Não é verdade.
Certa vez a cantora Marina Lima disse que nasceu no tempo certo e vive ao vivo e a cores. Nunca mais esqueci isso.
Eu só queria ser dois anos mais velha, por não ter vivido nada dos anos 1960 que é a minha paixão. Só comecei a ser gente bem no finalzinho dessa década.
Mas agora devo confessar que realmente estou saudosista. Chego a ter saudades até dos sofrimentos. Cheguei a esse ponto.
Não vou culpar governos e nem ninguém. A culpa é da falta de deslumbramento.
Só Deus sabe o quanto eu fui Polyanna por toda a minha vida.
O mundo está me despolyannando com uma ligeireza tal que me assusta. Estamos doentes, o mundo vai mal.
Desculpem o post linha tragédia.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.