Duas histórias de amor com final não feliz

Duas historias de amorQueridos leitores, como estou com o firme propósito de não escrever mais lamúrias no Boletim, dessa forma vou contar mais duas abobrinhas:

O URSÃO COR DE ROSA

Estava na janela daqui de casa quando vi uma menina andando com um ursão imenso azul claro e me lembrei de uma história. Tive uma estagiária muito fofa que vivia fazendo confidências amorosas para mim.

Certa vez ela conheceu um rapaz e ficou totalmente apaixonada. O rosto dela brilhava de tanta alegria. Certo dia ela chegou no trabalho e contou para mim que o amor dela deu um ursão IMEEEEENSO de pelúcia cor de rosa. Mais feliz do que pinto no lixo. Eu pensei cá com meus botões: “caramba, se um cara me desse este presente, eu terminaria o namoro na hora. Onde vou colocar esse trambolho?”

O tempo passou, o rapaz terminou de uma forma nada gentil, ela ficou fula da vida, me contou tudinho e no final do papo me perguntou: “Onde eu vou botar a porra daquele urso que ocupa o meu quarto quase todo”?

Eu respondi que botasse na calçada do seu prédio que alguém iria pegar. Dito e feito, no dia seguinte o ursão nada carinhoso sumiu.

ESSE CARA SOU EU

Essa é do tempo de solteira. Uma grande amiga andava muito triste, porque estava sozinha após um envolvimento com um rapaz que não queria nada sério com ela. Era só brincadeira, aparecia quando bem entendia e ela cheia de expectativas. Até que ela teve um ataque de sanidade e deu o fora no cara, mas mesmo assim sentia falta do pouco que ele lhe dava.

Certo dia ela foi a um barzinho com amigos, toda produzida, bem gostosona mesmo. Então, um rapaz ficou encantado por ela, trocaram os números de telefone, até que ele ligou no dia seguinte pela manhã. Saíram, começaram a namorar sério, bem sério. Quase sempre ele a pegava no trabalho, saíam praticamente todos os dias. Ela adorou, finalmente um homem que me dá valor, pensou ela. Ele ligava a todo e qualquer momento, principalmente nas raras noites em que os dois não se viam. Foi aquela fase do só vou se você for, como bem disse Dolores Doran.

Até que ela se deu conta de que não tinha mais vida própria, não podia fazer nada sem a companhia dele e até mesmo para ir ao shopping fazer compras, programa que os homens ODEIAM, ele estava do lado dela. Roupa um pouquinho provocante, NEM PENSAR.

Enfim, saiu de um relacionamento que tinha muito a desejar e partiu para outro que a sufocou com a insistente presença do enamorado. Mais uma vez caiu fora. Ela era doida, mas não era maluca. Foi até bom para ela esses namoros que não deram certo, porque foi no terceiro que ela encontrou o meio termo e conseguiu encontrar um rapaz muito legal.

Então fica aqui um recado para as meninas:

AS MARAVILHAS DO INÍCIO DE NAMORO SÃO JUSTAMENTE OS PROBLEMAS DE AMANHÃ.

Um lindo final de semana para todos e até o próximo Boletim.

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *